22.3 C
Serra
segunda-feira, 03 de agosto de 2020

TJES suspende auxílio de R$ 500 aprovado por vereadores e Prefeitura não terá que pagar benefício

Leia também

Opinião: Mulheres na política em busca de representatividade

ARTIGO DE OPINIÃO DE AUTORIA DE ALEXSANDRA VERTUANI A luta pelos direitos das mulheres vem progredindo não só no Brasil,...

Bruno Lamas afasta dúvidas e garante que vai disputar a Prefeitura da Serra

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB) garantiu que a sua decisão de disputar a Prefeitura da Serra no próximo...

Vale promove testagem em massa no Pará, porque não fazer na Grande Vitória também?

Uma ação da Vale realizada na cidade de Parauapebas, no sudeste do Pará, está entre as iniciativas sociais mais...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Vereadores tinham derrubado veto de Audifax, mas TJES afirma que lei é inconstitucional. Foto: Arquivo TN

Nesta quinta-feira (30), o Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) concedeu uma decisão liminar – provisória – para suspender a lei criada pela Câmara da Serra que instituía o auxilio emergencial da cidade de R$ 500 para aproximadamente 42 mil famílias do município. A medida iria criar um custo de R$ 63 milhões para a Prefeitura da Serra e esse foi o motivo principal para os desembargadores considerarem a lei institucional.

De acordo com eles, a iniciativa não poderia partir do Legislativo, já que os vereadores não indicaram de onde o Poder Executivo iria tirar os recursos para cobrir o benefício. Através dessa nova decisão, a Prefeitura da Serra não terá que pagar o auxílio emergencial. Vale destacar que o prefeito Audifax Barcelos (Rede) já tinha vetado o projeto com a mesma justificativa utilizada pelos desembargadores.

O prefeito tinha afirmado ainda, no momento do veto, que existia um vício de iniciativa, pois projetos de lei que criam gastos para o Executivo só deveriam ser propostos pelo próprio Executivo, já que é necessário fazer um estudo do orçamento para saber se seria possível cobrir aquela despesa.

Porém, após Audifax não sancionar o PL, os vereadores derrubaram o veto e promulgaram a lei. Após isso, a Prefeitura da Serra entrou com uma Ação de Inconstitucionalidade para não ser obrigada a pagar o auxilio emergencial aprovado pela Câmara. Vale destacar que, em junho, o Município já tinha anunciado o pagamento de R$ 300, em três parcelas para cerca de 2.8 mil famílias da cidade.

Durante o seu veto, o relator do caso, desembargador Samuel Meira Brasil Junior, destacou a importância de iniciativas como a dos vereadores em meio à pandemia, mas afirmou que, mesmo diante da necessidade, a Câmara promulgou a lei sem nem sequer, indicar à prefeitura de onde os recursos necessários para pagar o auxílio poderiam ser retirados.

Em uma estimativa, o valor do impacto de R$ 63 milhões corresponde a duas vezes o orçamento da Secretaria de Defesa Social do município para todo o ano de 2020. O relator ainda afirmou que a liminar não proíbe que se crie um novo auxílio, mas apenas exige que seja feito dentro da legalidade, com diálogo aberto entre os poderes “para que ambos decidam o valor e a forma de custeio”.

Comentários

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Bruno Lamas afasta dúvidas e garante que vai disputar a Prefeitura da Serra

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB) garantiu que a sua decisão de disputar a Prefeitura da Serra no próximo dia 15 de novembro não...

Vale promove testagem em massa no Pará, porque não fazer na Grande Vitória também?

Uma ação da Vale realizada na cidade de Parauapebas, no sudeste do Pará, está entre as iniciativas sociais mais bem sucedidas na luta contra...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!