20.7 C
Serra
quarta-feira, 22 setembro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

TJ manda prender empresário e juízes da Serra acusados de vender sentença

Leia também

Vendaval destrói poste e deixa bairro da Serra sem energia elétrica

O vendaval da noite desta terça-feira (21) está deixando estragos em alguns bairros da Serra. Em Vila Nova de Colares,...

Calorão na Serra dá lugar a chuva e ventos de até 40 km/h nessa quarta-feira

No dia em que marca a passagem para a Primavera no Hemisfério Sul, o avanço de um sistema frontal...

Assembleia Legislativa aprova regras para gratuidade em ônibus

  Deputados estaduais aprovaram nesta quarta-feira (21) o Projeto de Lei Complementar 24/2021, que faz ajustes à Lei Complementar 971/2021....
Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

Em sessão realizada nesta quinta-feira (29), os desembargadores do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES) decretou a prisão preventiva dos juízes Alexandre Farina e Alexandre Gutmann, que atuam na Serra. Os dois são investigados por suposta venda de sentenças. As informações foram divulgadas na imprensa capixaba.

A ação resulta do pedido do Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES). No TJ, a relatora do caso, Elisabeth Lordes, apontou que os dois poderiam interferir nas investigações. Dezenove desembargadores acompanharam a relatora e um alegou suspeição por motivos pessoais.

Também foi decretada a prisão de um empresário, rudes Cecato, e o ex-funcionário da Associação de Magistrados do Espírito Santo (Amages), Davi Ferreira Gama. Os juízes serão levados para o Quartel da Polícia Militar, em Maruípe. Já os outros presos serão levados para um presídio comum.

A reportagem tentou contato com os juízes citados, mas não obteve sucesso.

Entenda:

Desembargadores do Tribunal de Justiça do Espírito Santo determinaram o afastamento de dois juízes que atuam no Fórum da Serra, Alexandre Farina e Alexandre Guttmann, que estão proibidos de se aproximar a 500 metros do Fórum. As alegações são  de que os dois seriam suspeitos de corrupção e venda de sentenças para beneficiar um empresário.

A ação em desfavor dos juízes veio após um pedido da Procuradoria-Geral de Justiça, que apontou a necessidade dessa medida como forma de impedir possíveis tentativas de atrapalhar o processo, que corre no âmbito criminal.

O processo está em segredo de Justiça, por isso o nome dos demais acusados não pode ser revelado; a suposta sentença judicial comercializada foi deferida em março de 2017 para favorecer um empresário em questões imobiliárias milionárias na Serra.

O caso passou a ser investigado pela Polícia em decorrência da prisão do ex-policial civil, Hilário Frasson, que é o principal suspeito pela encomenda de assassinato da médica Milena Gottardi.

 

Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!