25.9 C
Serra
sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Serra perdeu 11,1 mil empregos com carteira assinada em cinco anos  

Leia também

Chuvas | Serra antecipa limpeza de bueiros e valas

Áreas de instabilidade se intensificaram sobre o mar e avançaram para o Espírito Santo espalhando nuvens carregadas sobre algumas...

Prefeitura da Serra vai enviar 50 pessoas para ajudar na limpeza de Iconha

Muitas doações de produtos de limpeza, alimentos e roupas estão chegando ao município de Iconha, devastado por chuvas que...

Morador pede bueiros em ruas de Portal de Jacaraípe – Confira no ‘Pronto, Flagrei’

Morador do bairro Portal de Jacaraípe, Cleiton Luiz, reclama da ausência de bueiros em diversas ruas da comunidade. Segundo ele,...

Cena comum no Sine da Serra, em Portal de Jacaraípe: trabalhadores em busca de vagas de emprego com carteira assinada. Foto: Divulgação

Até novembro, o mercado de trabalho formal na Serra gerou mais contratações do que demissões com carteira assinada. Situação que já havia ocorrido ano passado. No entanto, o desempenho de 2018 e 2019 não foi suficiente para reverter a tendência de queda nas vagas de trabalho com carteira assinada nos últimos anos.

Tanto que em cinco anos foram fechadas 11,1 mil vagas de emprego com carteira assinada no município. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Governo Federal.

De janeiro a novembro de 2019, o saldo entre admissões e demissões foi de 2,5 mil vagas de emprego. Em 2018, o saldo positivo foi de 5,3 mil. Porém no triênio anterior, durante o auge da crise econômica que atinge até hoje o país, houve perda de 18,9 mil vagas de trabalho com carteira assinada na Serra.

É de se registrar que além da crise econômica nacional, a Serra e outras cidades capixabas sofreram em 2015 com a paralisação da Samarco e agora enfrentam a redução da produção no complexo de Tubarão (Vale e ArcelorMittal Tubarão) em decorrência do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho – MG, ocorrida em janeiro.

A redução dos postos formais de emprego na Serra segue tendência nacional. Números divulgados pelo IBGE, apontam que o Brasil está com 41,2% da população economicamente ativa trabalhando na informalidade, um total de quase 39 milhões de pessoas. Este ano o trabalho informal bateu recorde desde que o IBGE começo a medi-lo em 2016.

Ainda de acordo com o IBGE, a principal geração de empregos no país atualmente acontece justamente nas ocupações informais. Nelas estão pequenos empreendedores sem registro, vendedores ambulantes, motoristas de aplicativo, pessoas que trabalham sem carteira em negócios de família, dentre outras atividades.

Comentários

Mais notícias

Prefeitura da Serra vai enviar 50 pessoas para ajudar na limpeza de Iconha

Muitas doações de produtos de limpeza, alimentos e roupas estão chegando ao município de Iconha, devastado por chuvas que atingiram o sul do Espírito...

Morador pede bueiros em ruas de Portal de Jacaraípe – Confira no ‘Pronto, Flagrei’

Morador do bairro Portal de Jacaraípe, Cleiton Luiz, reclama da ausência de bueiros em diversas ruas da comunidade. Segundo ele, basta chover um pouco mais...

Pague 26 e leve 23 | Confira a coluna Nó da Gravata desta sexta (24)

Pague 26 e leve 23 Após os vereadores de oposição colocarem o ‘pé na porta’ contra a posse do suplente de vereador Fábio Latino (PSB),...

A Serra tem meio milhão de incapazes? Leia a opinião do TN

Quando o chefe dos índios temiminós Maracajá-guaçu e o padre jesuíta Brás Lourenço, em 1556, fundaram a Aldeia de Nossa Senhora da Conceição da...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem