22.6 C
Serra
segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Risco de contágio pela Covid-19 assombra motoristas do Transcol

Leia também

Serra está há dois dias sem registrar mortes causadas pelo coronavírus, diz Estado

Mesmo seguindo na liderança do número de mortes causadas pela Covid-19 no Espírito Santo, a Serra não registra moradores...

Candidatura de Bruno Lamas é teste de popularidade do Governo nas eleições 2020

Os resultados das eleições de novembro, na Serra, podem ser a resposta do povo às ações do Governo do...

Políticos capixabas lamentam marca dos 100 mil mortos por coronavírus no Brasil

Políticos de todo o país manifestaram preocupação com o avanço do número de mortos em decorrência da Covid-19. O...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A partir de domingo (17), além de máscara dentro dos ônibus, o pagamento da passagem será somente com bilhete eletrônico. Foto: Ana Paula Bonelli

Motoristas e trocadores do Sistema Transcol, considerado serviço essencial, estão trabalhando com medo, pois os coletivos são locais de aglomeração. Profissionais que atuam em linhas que atendem bairros e terminais na Serra e que toparam falar sob a condição de não terem o nome divulgado, contaram que a angústia por conta da pandemia do novo coronavírus assombra.

“Sei de muitos colegas que foram afastados por estarem ou com suspeita ou por terem pego a doença. Não sei dizer se foi dentro do ônibus, durante o horário de trabalho, mas tenho medo de pegar também”, diz um trocador.

Outro motorista que não será identificado, afirmou que tem se sentido um pouco mais protegido por conta da obrigatoriedade do uso de máscara dentro dos coletivos. “Mas mesmo assim, algumas pessoas teimam em não usar. Estamos chamando atenção desses passageiros, mas sempre reina aquele medo de contrair o corona”, relata.

O TEMPO NOVO procurou o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Espírito Santo – Sindirodoviários-ES que disse que não ter dados sobre profissionais que tenham ficado doentes ou que tenham sido afastados com suspeita da doença.

Já o Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória – GVBus informou que, até o momento, não foi informada pelas empresas operadoras do Transcol a respeito de nenhum caso de motorista ou cobrador infectados pela Covid-19.

A Gbus disse também que medidas que estão sendo adotadas para prevenção e para evitar a proliferação do novo coronavírus dentro dos ônibus, desde o início das tratativas do governo com relação ao combate à Covid-19, os consórcios estão seguindo as orientações da Secretaria de Estado da Saúde, inclusive com o afastamento dos profissionais que estão no grupo de risco das funções dentro dos coletivos.

“Além disso, destacamos que o governo distribuiu 30 mil máscaras para todos os rodoviários. Em paralelo, as empresas têm orientado seus colaboradores sobre os cuidados a serem tomados, têm fornecido álcool em gel e sabonete líquido para higienização nas salas dos rodoviários nos terminais de integração e, ainda, intensificaram a limpeza e a higienização no interior dos coletivos, incluindo o uso de água sanitária”, diz nota do sindicato patronal enviado à reportagem.

Vale lembrar ainda que passageiros que forem utilizar o Transcol devem usar máscara, evitar andar em pé nos coletivos. A partir deste domingo (17), o pagamento das passagens só poderá ser feito com bilhete eletrônico, pois os ônibus irão circular sem cobradores.

As novas medidas foram anunciadas pelo governador Renato Casagrande (PSB) na quarta-feira (13), por meio de vídeo. Casagrande disse que alguns cobradores atuarão na venda de cartões de passagem e outros ficarão em casa, mas não serão demitidos.

“A partir de domingo nós não aceitaremos mais dinheiro nos ônibus do Sistema Transcol. Fizemos um entendimento com o Sindicato dos Rodoviários, das empresas. Os cobradores estarão afastados, com manutenção dos contratos, utilizando a Medida Provisória, a legislação federal, que permite que a empresa possa manter um vínculo, reduzir o salário e tem uma complementação por parte do Governo federal deste salário. Então o cobrador, por 60 dias, manterá o seu salário; estará afastado da atividade de cobrador e isso permitirá que ele volte para as atividades. Ninguém será afastado ou demitido das atividades”, disse Casagrande.

Rio de Janeiro já tem mais de 20 motoristas mortos, diz jornal

Em reportagem publicada nesta quarta-feira (14) pelo G1, foi informado que desde o início da pandemia já morreram 22 motoristas de ônibus urbanos somente na cidade do Rio de Janeiro por causa do novo coronavírus.  A informação publicada no periódico on line, foi atribuída ao sindicato que representa os rodoviários que atuam na capital fluminense.

Comentários

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Candidatura de Bruno Lamas é teste de popularidade do Governo nas eleições 2020

Os resultados das eleições de novembro, na Serra, podem ser a resposta do povo às ações do Governo do Estado durante a pandemia do...

Políticos capixabas lamentam marca dos 100 mil mortos por coronavírus no Brasil

Políticos de todo o país manifestaram preocupação com o avanço do número de mortos em decorrência da Covid-19. O governador Renato Casagrande (PSB) usou...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!