21.8 C
Serra
segunda-feira, 01 de junho de 2020

Prefeitura suspende fiscalização de bares na madrugada

Leia também

Mais de 200 mil capixabas já tiveram Covid-19, diz 2ª fase do Inquérito Sorológico

O governador Renato Casagrande anunciou em suas redes sociais que 206.559 mil pessoas já contraíram Covid-19 no Espírito Santo,...

Serra fecha maio com 2.508 casos confirmados e 157 mortos por coronavírus

O mês de maio chegou ao fim com muitos casos confirmados e mortes causadas pela Covid-19 na Serra. De...

Mais cinco moradores da Serra morrem por coronavírus

Em apenas 24 horas, a Serra registrou cinco novas mortes causadas pela Covid-19. A informação foi divulgada pela Secretaria...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mobilização na Câmara: empresários do setor e músicos vêm acompanhando as discussões sobre a Lei do Fechamento dos Bares entre a Prefeitura e vereadores. Foto: Fábio Barcelos
Mobilização na Câmara: empresários do setor e músicos vêm acompanhando as discussões sobre a Lei do Fechamento dos Bares entre a Prefeitura e vereadores. Foto: Fábio Barcelos

Conceição Nascimento

Diante da expectativa de aprovação do Projeto de Lei 129/2015, que dispõe sobre a revogação da lei 4.319/2014 – a que define o horário de funcionamento de bares e similares da Serra, entre 01h e 6h – na noite desta quarta-feira (15), o prefeito Audifax Barcelos (PSB) teria sinalizado a possibilidade de anular a lei. A matéria foi retirada pelo seu autor, Gilmar Carlos da Silva (PT), “Após entendimento com o prefeito”, disse o vereador petista. O Executivo confirmou que suspenderá a fiscalização até o próximo dia 27.

Segundo Gilmar, o prefeito vai se reunir no dia 27 de julho com vereadores, representantes de sindicatos e prestadores de serviços para tentar chegar a um acordo e evitar o desgaste da votação.

“O líder do prefeito, vereador Luiz Carlos Moreira (PMDB), argumentou que a lei seria revogada e que a prefeitura anistiaria os comerciantes que foram multados. Também prometeu suspender de imediato as ações de fiscalização. Em função disso, optamos por retirar o projeto e aguardar os desdobramentos”, contou o petista.

A movimentação na Câmara foi acompanhada por representantes do Sindicato dos Restaurantes, Bares e Similares do Espírito Santo (Sindbares); taxistas e outros movimentos organizados, que lotaram as galerias. Um dia antes, na terça-feira (14), uma audiência pública foi realizada na Câmara para ouvir segmentos ligados aos bares e restaurantes.

Já o secretário de Defesa Social da Serra, Nylton Rodrigues, confirmou que o prefeito assumiu o compromisso de receber o Sindbares e vereadores no próximo dia 27 e, até lá, suspender a fiscalização de horários no município. Porém, disse desconhecer sobre anistia ou revogação da lei.

“Os mesmos vereadores que aprovaram o projeto agora querem revogar a lei. É um retrocesso. Nestes quatro meses, temos indicadores positivos do Ciodes sobre a redução da violência na cidade, no horário de impacto da lei, que é a madrugada”, argumentou.

Sobre demissões entre funcionários dos estabelecimentos, o secretário foi enfático. “Ninguém está proibido de trabalhar. Quem quiser permanecer após 01h deve se adequar, como outras 14 casas fizeram”, disparou.

 

 

 

Comentários

Mais notícias

Serra fecha maio com 2.508 casos confirmados e 157 mortos por coronavírus

O mês de maio chegou ao fim com muitos casos confirmados e mortes causadas pela Covid-19 na Serra. De acordo com a última atualização...

Mais cinco moradores da Serra morrem por coronavírus

Em apenas 24 horas, a Serra registrou cinco novas mortes causadas pela Covid-19. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa)....

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!