20.8 C
Serra
sexta-feira, 10 de abril de 2020

Polos comerciais se consolidam e se expandem em bairros

Leia também

Império de Fátima vai doar cestas básicas para circos e máscaras para unidades de saúde da Serra

A escola de samba Império de Fátima se mobilizou para ajudar famílias carentes e artistas circenses da Serra. A agremiação...

Três secretários de Audifax devem disputar as eleições municipais em outubro

  A Prefeitura da Serra confirmou a desincompatibilização dos secretários Igor Elson B. de Almeida e Elcimara Rangel dos cargos de...

Número de casos confirmados da Covid-19 sobe para 300 no Espírito Santo

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Espírito Santo aumentou. De acordo com a última atualização divulgada...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Comerciantes do bairro Feu Rosa, cujo polo de lojas vem se expandindo. Foto: Fábio Barcelos

Clarice Poltronieri

Quando se fala em polo comercial na Serra, logo se pensa em Laranjeiras. É justo, pois é o maior. Porém existem diversos outros polos expressivos espalhados pela cidade e vêm crescendo em número de estabelecimentos e clientes. Entre agosto e o início de dezembro, Tempo Novo fez uma série de reportagens sobre esses polos, e contabilizou cerca de 2,4 mil estabelecimentos e empresas que atraem milhares de pessoas por dia.

 Dos bairros pesquisados, são 783 estabelecimentos e empresas em Novo Horizonte; 500 em Feu Rosa; 350 na Serra-Sede; 420 na região de Jacaraípe; 200 em Nova Almeida; e 150 em Porto Canoa. Em Bairro de Fátima os comerciantes não souberam estimar o total, mas apontaram que só na avenida principal, são mais de 30 estabelecimentos.

Entre as lideranças comerciais desses bairros, apenas as da Serra-Sede e as de Porto Canoa deram estimativa do fluxo diário de pessoas nos estabelecimentos: 20 mil na Sede e 2,3 mil em Porto Canoa.

De acordo com o diretor da Câmara de Dirigentes Lojista, Samuel Vale, o crescimento de polos comerciais e de serviços espalhados por vários bairros da Serra é uma tendência.

“Isso acontece porque houve planejamento urbano da cidade. O morador tem tudo que precisa nos bairros: bancos, comércio e serviços, posto de saúde e escolas. Só em demandas mais complexas ele precisa ir para o maior polo, a região da Grande Laranjeiras, onde estão três hospitais, várias agências bancárias e financeiras, dois shoppings e grandes supermercados”, explica.

O supervisor do supermercado Noroeste, em Nova Almeida, Fabrício Ferreira, diz que o comércio triplicou na região nos últimos anos. “Começamos como uma empresa familiar e hoje temos uns 60 funcionários. Há uns 10 anos o comércio triplicou e no verão dobra o movimento”, salienta.

 

 

Comentários

Mais notícias

Três secretários de Audifax devem disputar as eleições municipais em outubro

  A Prefeitura da Serra confirmou a desincompatibilização dos secretários Igor Elson B. de Almeida e Elcimara Rangel dos cargos de secretário de Serviços e de...

Número de casos confirmados da Covid-19 sobe para 300 no Espírito Santo

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Espírito Santo aumentou. De acordo com a última atualização divulgada pela Secretaria de Estado da...

Serra tem 11 novos casos de coronavírus e registra 64 pacientes contaminados

Em 24 horas, a Serra teve um aumento significativo no número de casos confirmados do novo coronavírus. De acordo com a última atualização divulgada pela...

Novos partidos alteram o tabuleiro no plenário da Câmara da Serra

Os sem-partido Os vereadores passaram um perrengue nos últimos dias do prazo para filiação partidária para quem tem mandato, 3 de abril. Após o corre-corre,...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem