Políticos da Serra tem Carteira de Habilitação suspensa pelo Detran

0
O nome dos políticos foi divulgado a imprensa pelo Detran. Foto: Arquivo/TN
O nome dos políticos foi divulgado a imprensa pelo Detran. Foto: Arquivo/TN

Após a carreata organizada pela Vereadora Neidia Maura Pimentel (SDD) para devolução dos carros da Câmara Municipal e que deixou muitos vereadores à pé. Ao que tudo indica, outros políticos da cidade serão obrigados a viajar indo no banco do carona por terem tido o seu Registro Nacional de Habilitação suspensos.

São eles: Sueli Vidigal (PDT), que assumiu recentemente a Secretaria de Estado de Assistência Social; o ex-prefeito e deputado federal eleito Sérgio Vidigal; o deputado federal Carlos Manato (SDD) e o deputado estadual eleito Bruno Lamas (PSB). Todos tiveram suas carteiras suspensas por atingirem 20 pontos ou mais em números de infrações.

A lista foi divulgada a imprensa nesta sexta-feira (09), pelo novo diretor do Departamento Estadual de Trânsito do Espirito Santo (Detran/ES), Fabiano Contarato. Além de políticos da Serra, a relação conta com outros nomes de politicos de partes do Estado. Ao todo são 43 mil condutores que estão em situação irregular.

Os motoristas que estão em situação irregular deverão entregar a CNH em alguma unidade do Detran. Se forem pegos dirigindo, sofrerão punição administrativa com multa de R$ 957,69.

Por meio de assessoria o deputado estadual eleito Bruno Lamas disse que o veiculo ao qual foi atribuida a pontuação é de propriedade da empresa da família, e portanto, era dirgido por um funcionário da mesma. Ele já fez o curso de reciclagem e deve receber a carteira em até 30 dias.

Quanto ao fato da suspensão, Bruno Lamas parabenizou o Detran e informou que concorda com a mesma. Ele acrescentou: “Ação do Detran traz transparência e ajuda na divulgação e fiscalização. Minha suspensão é/foi de 30 dias e já cumpri. Agora, estou na etapa do curso de reciclagem. Não sou o único condutor do meu veículo”.

O deputado federal Carlos Manato informou que tem alguns veiculos em seu nome e que costumam serem dirigidos por terceiros, como: assessores e filhos. Afirmou que fará o curso de reciclagem, mas que em seguida, vai procurar o órgão para saber se a pontuação atribuida ao seu registro foi devida ou não.

Por telefone, às 11:23 da manhã deste sábado (10), a equipe de reportagem do Tempo Novo tentou falar Sueli Vidigal, mas a ligação ia para caixa postal. O mesmo foi feito com Sérgio Vidigal, às 11:29, mas ninguém atendeu ao telefone.

Comentários