21.8 C
Serra
segunda-feira, 01 de junho de 2020

Pastor alemão é usado nos Estados Unidos para detectar câncer de tireoide

Leia também

Mais de 200 mil capixabas já tiveram Covid-19, diz 2ª fase do Inquérito Sorológico

O governador Renato Casagrande anunciou em suas redes sociais que 206.559 mil pessoas já contraíram Covid-19 no Espírito Santo,...

Serra fecha maio com 2.508 casos confirmados e 157 mortos por coronavírus

O mês de maio chegou ao fim com muitos casos confirmados e mortes causadas pela Covid-19 na Serra. De...

Mais cinco moradores da Serra morrem por coronavírus

Em apenas 24 horas, a Serra registrou cinco novas mortes causadas pela Covid-19. A informação foi divulgada pela Secretaria...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O cachorro teve que cheirar 34 pacientes e acertou 30 diagnósticos. Foto: Divulgação
O cachorro teve que cheirar 34 pacientes e acertou 30 diagnósticos. Foto: Divulgação

O cachorro é o melhor amigo do homem. Certo? Esta afirmação é mais do que isso, eles também estão salvando vidas. Pelo menos, é o caso de um pastor alemão usado para farejar o câncer de tireoide em pessoas ainda não diagnosticadas. O projeto teve 88% de sucesso em detectar a doença, segundo pesquisadores americanos.

Na experiência, apresentada na reunião anual da Endocrine Society (associação internacional para a pesquisa de hormônios e endocrinologia clínica), o cachorro teve que “cheirar” 34 pacientes. A equipe de cientistas disse que o animal tinha um faro “inacreditável”.

Comentando o estudo, o instituto de pesquisa britânico Cancer Research UK disse que usar cachorros para o diagnóstico não seria prático, mas que descobrir as substâncias químicas que eles farejam pode levar a novas pesquisas e avanços.

A tireoide é uma glândula localizada no pescoço que produz hormônios reguladores do metabolismo.
O câncer é constituído de células defeituosas e fora de controle. Elas têm uma química própria e liberam “compostos orgânicos voláteis” no organismo.

A escolha dos cientistas pelo cachorro se justifica pelo fato de que esses animais possuem 10 vezes mais receptores olfativos e podem distinguir os odores específicos que os tumores exalam.

A experiência com cães também já teve resultados promissores em pacientes com câncer de pulmão e câncer de intestino.

Uma equipe da UAMS já havia mostrado que um cachorro poderia ser treinado para perceber as diferenças entre amostras de urinas de pacientes com e sem câncer na tireoide.

Frankie, o pastor alemão usado no experimento apresentado à Endocrine Society, foi treinado para deitar-se no chão quando conseguisse farejar o câncer em uma amostra e a dar as costas se a urina estivesse limpa.

O próximo passo era saber se a habilidade do animal poderia ser usada em um exame diagnóstico.

Frankie diagnosticou corretamente 30 de 34 casos. Dois deles eram falsos positivos, mas outros dois pacientes que teriam sido liberados pelos médicos foram diagnosticados com tumores.

Comentários

Mais notícias

Serra fecha maio com 2.508 casos confirmados e 157 mortos por coronavírus

O mês de maio chegou ao fim com muitos casos confirmados e mortes causadas pela Covid-19 na Serra. De acordo com a última atualização...

Mais cinco moradores da Serra morrem por coronavírus

Em apenas 24 horas, a Serra registrou cinco novas mortes causadas pela Covid-19. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa)....

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!