Para se comunicar com filho deficiente pai volta para sala de aula

0
Para se comunicar com filho deficiente pai volta para sala de aula
A professora de Libras Célia Valério, com Felipe e o pai Ricardo. Foto: Everton Nunes/Secom-PMS

Para aperfeiçoar a comunicação com o filho de 18 anos, um pai decidiu voltar para a sala de aula.  Aos 47 anos de idade, Ricardo Rodrigues da Silva que é pai de Felipe Ramos, deficiente auditivo começou a aprender Libras – Língua Brasileira de Sinais. As informações são da Prefeitura da Serra.

Ricardo passou a frequentar aulas de libras na Emef Leonel de Moura Brizola, no Bairro das Laranjeiras, na região de Jacaraípe e desde então a comunicação em casa, melhorou.

Felipe Ramos perdeu a audição aos 10 meses de vida por causa da meningite. Para a assessoria da Prefeitura da Serra, Ricardo contou que as aulas têm aproximado ele e o filho. “Ele sempre aprendeu Libras na escola, mas eu não sabia nada. Quando meu filho descobriu que eu estava interessado em aprender a língua dele, ficou muito feliz e começou a me ajudar nos estudos”.

Voluntariado

Histórias como a de Ricardo e Felipe são possíveis graças à dedicação de professores, como Célia Valério, que reserva algumas horas da sua rotina para se dedicar ao voluntariado e ao ensino da Libras.

Com o projeto “Mãos que transformam vidas”, a pedagoga e especialista em deficiência mental, intelectual e surdez, está quebrando preconceitos, aproximando familiares e amigos e mostrando uma nova fonte de renda e trabalho para a população, que é o trabalho como intérprete de Libras.

A professora afirma que já trabalha com o serviço voluntário há 11 anos, sendo sete com Libras. Na Serra, o projeto foi implantado este ano na escola municipal Leonel, em Bairro das Laranjeiras. As aulas acontecem todo terça-feira, das 18 às 20 horas. “Estamos construindo um trabalho voltado para os valores humanos, a cultura, a arte e a língua de sinais”.

Comentários