21.9 C
Serra
quinta-feira, 02 de julho de 2020

Osvaldino questiona dinheiro do IPS aplicado em banco privado

Leia também

Falta de sinalização em rodovia e ciclovia da Serra põe vida de ciclistas em risco

Ciclistas que se aventuram a pedalar pela ciclovia da rodovia Audifax Barcelos, na Serra, precisam ter cuidado redobrado. Isto...

Cristóvam Buarque participa de live sobre educação na terça-feira

"A Educação é um valor e prioridade central na minha vida". A afirmação é da pré-candidata a prefeita da...

Políticos da Serra defendem adiamento das eleições municipais para novembro

Autoridades politicas capixabas defendem o adiamento das eleições 2020 para novembro, em função da pandemia do novo coronavírus. Segundo...
Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Conteúdo patrocinado

O Instituto de Previdência dos Servidores do Município da Serra já fez aplicação em 2012 numa instituição que teve a falência decretada. Foto: Divulgação

O presidente do Sindicato dos Servidores da Serra – Sermus – Osvaldino Luiz Marinho está preocupado com as aplicações financeiras que o Instituto de Previdência dos Servidores da Serra – IPS, vem fazendo em instituições bancárias privadas. “A minha preocupação se justifica uma vez que em 2012, o então presidente do IPS, aplicou R$ 40 milhões em uma instituição privada e logo depois o Banco Central decretou a falência da mesma e até hoje o IPS não conseguiu recuperar a maior parte dos recursos aplicados”, lembra Osvaldino.

Segundo o presidente do Sermus, “o IPS vem fazendo tais aplicações sem dar ciência e sem o aval do conselho deliberativo e tais aplicações foram descobertas recentemente, durante uma reunião do conselho, fato que deixou boa parte dos conselheiros preocupados. Convivemos até hoje com o fantasma de aplicações financeiras mal feitas, no final da gestão de Vidigal, em 2012, que resultou em grande prejuízo para os servidores, que são os donos do dinheiro do IPS”, destaca.

Como medida protetiva e visando resguardar o dinheiro dos servidores, aposentados e pensionistas, Osvaldino disse que irá sugerir na próxima reunião do conselho, marcada para o próximo dia 24 (terça feira), o retorno de tais aplicações para a rede bancária pública (Banestes, Caixa e Banco do Brasil), uma vez que essas instituições não correm risco de falência e tem as garantias dos tesouros estadual (Banestes) e da união (Caixa e Banco do Brasil).

A outra medida tomada pelo Sermus, foi protocolar na Prefeitura, ofício endereçado ao prefeito Audifax Barcelos, pedindo que encaminhe um projeto de lei para a Câmara, proibindo os gestores do IPS de fazerem aplicações financeiras em instituições privadas.

Finalizando, Osvaldino disse que “espera que o presidente do IPS use do bom senso e volte com as aplicações para a rede pública e que o prefeito Audifax não esqueça o que aconteceu em 2012, quando ele se posicionou contrariamente e hoje não pode, na sua gestão permitir que o mesmo aconteça”.

Comentários

Mais notícias

Cristóvam Buarque participa de live sobre educação na terça-feira

"A Educação é um valor e prioridade central na minha vida". A afirmação é da pré-candidata a prefeita da Serra, Luciana Malini (PP), que...

Políticos da Serra defendem adiamento das eleições municipais para novembro

Autoridades politicas capixabas defendem o adiamento das eleições 2020 para novembro, em função da pandemia do novo coronavírus. Segundo proposta, que deve ser votada...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!