24.5 C
Serra
quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Opinião | A nova Serra Sede: A Força Centrípeta Emerge

Leia também

Janela eleitoral para vereadores começa dia 5 de março

Começa no dia cinco de março o prazo para vereadores trocarem de partido sem o risco de complicações com...

Vereador da Serra pode justificar falta com atestado médico e sem aprovação do plenário

Vereadores da Serra não precisam mais submeter atestados médicos a apreciação do plenário para justificar a ausência. A Câmara...

Império de Fátima é campeã e desfila na sexta em 2021

A escola de samba Império de Fátima sagrou-se campeã do Grupo de Acesso B que desfilou na última quinta-feira...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Mesmo permanecendo como centro administrativo, a Serra Sede deixou de ser o centro econômico do município com a chegada do Complexo de Tubarão e Civit’s. Foto: Edson Reis

Por Edson Quintino do Nascimento

A cidade da Serra, após passar pelo primeiro ciclo de desenvolvimento da era industrializante brasileira, no inicio/final dos anos 60/70, surge no cenário capixaba, no primeiro quartel do século XXI, como cidade multiplicada e diversificada, mas que carece de reordenamentos sociais e urbanos.

Multiplicada porque aqui chegaram em busca de emprego e renda, imigrantes oriundos dos estados vizinhos, assim como, do próprio interior do nosso estado.

Diversificada porque ao crescer a população exponencialmente, em torno destes novos empreendimentos industriais, constatou-se, neste período, no distrito de Serra Sede, perda de importância politica, econômica e social, em relação a outras regiões da cidade, como Carapina e Laranjeiras. Estas atraíram maiores contingentes populacionais e desenvolveram o seu comercio e serviços. A este fenômeno serrano, em relação à Sede, chamo de força centrífuga. Portanto, uma lei da física aplicada, deliberadamente, às questões sociais, politicas e econômicas na Cidade da Serra.

 Então, o distrito de Serra Sede passou pelo processo de esvaziamento porque perdeu ou deixou de captar importantes órgãos públicos, tanto do executivo municipal quanto do judiciário, com a praticamente saída total do Fórum. Daí, experimentamos o efeito dominó com a desaceleração econômica com o fechamento de salas comerciais lojas, etc..

Não obstante, segundo manuais de sociologia, a historia não tem fim, então, daí  surge no nosso distrito a organização social que desempenha o papel de aglutinar em torno da ACESS – Associação Comercial e Empresarial de Serra Sede a necessidade, primeiro por parte dos empreendedores, de organização associativa. Assim como proposta inicial, além de juntar forças dissipadas, e trabalhar junto com outras entidades da sociedade civil, também conta com o apoio do MSSF – Movimento Serra Sede Forte. Vale destacar que estas duas entidades irmãs, possuem atuações distintas, porém, simbióticas.

Esta simbiose, mais contundente nos últimos dois anos, se frutifica com as primeiras conquistas: estancou definitivamente o esvaziamento e fez surgir o novo estado de animo entre os serranos. Com isto, nós, sociedade civil, passamos a acreditar coletivamente na nossa força, corroborada pela posição geográfica estratégica. Não é exagero pensar que a Sede é a “bola da vez” em relação ao novo ciclo de desenvolvimento da Serra.

Edson Quintino do Nascimento é filósofo, comerciante e presidente da Associação Comercial e Empresarial da Serra Sede. Foto: Arquivo pessoal

A razão de ser do otimismo na mudança de paradigma, até no comportamento dos serranos, se fundamentam nas ações emergenciais e estruturantes, propostas pela ACESS e pelo MSSF, com as primeiras conquistas: estacionamento rotativo; novo prédio administrativo da Prefeitura; prédio do IPS (Instituto de Previdência dos Servidores); centro de treinamento dos professores; revitalização do Centro da Serra; Ciretran.

Uma das razões de ser deste otimismo é também o alargamento de novas fronteiras de desenvolvimento que abrem-se com o Contorno do Mestre Álvaro.

Em fim, podemos afirmar que encontramos o caminho, porque construímos os instrumentos de lutas sociais (ACESS e MSSF), já temos como referencia os resultados alcançados, fez brotar o otimismo na população, porque constatamos que a força centrifuga, deu lugar a força centrípeta, e, portanto, está em marcha o projeto da Nova Serra Sede.

 

Comentários

Mais notícias

Vereador da Serra pode justificar falta com atestado médico e sem aprovação do plenário

Vereadores da Serra não precisam mais submeter atestados médicos a apreciação do plenário para justificar a ausência. A Câmara aprovou durante a sessão desta...

Império de Fátima é campeã e desfila na sexta em 2021

A escola de samba Império de Fátima sagrou-se campeã do Grupo de Acesso B que desfilou na última quinta-feira (13) no Sambão do Povo,...

EDP anuncia falta de energia em bairros da Serra nesta quinta e sexta

Durante esta semana, muitas comunidades da Serra ficarão sem energia por um determinado período. Isso porque a EDP Espírito Santo irá realizar uma manutenção...

Festa carnavalesca vai misturar samba, marchinha e eletrônica em Manguinhos

Quer curtir um Carnaval diferente? Em Manguinhos vai ter samba, marchinha e um atrativo a mais que é a música eletrônica, e claro, a...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem