25.7 C
Serra
terça-feira, 07 de julho de 2020

Obra de esgoto da Cesan não garante despoluição de rio que abastece Serra

Leia também

Opinião TN: A pandemia não acabou, nós que acostumamos com as mortes

Mesmo em meio à pandemia, a rotina de muitas pessoas está voltando ao normal. Famílias se reunindo, churrascos acontecendo...

Ação no sábado em Laranjeiras vai trocar cerveja por alimento e produtos de limpeza

Neste sábado (11) vai acontecer a segunda edição Festival Drive-Thru Solidário das Cervejarias, às 12 horas. A ação é...

Pastoral já distribuiu mais de 16 mil marmitas à população de rua

A pandemia causada pelo novo coronavírus está agravando a desigualdade social no país. Um dos sintomas desse cenário é...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Morador alega que foi instalada em nível mais alto que o das casas. Foto: Divulgação Leitor

A obra de coleta e tratamento de esgoto que a Cesan está fazendo em Santa Leopoldina não vai garantir a despoluição do rio Santa Maria, responsável pelo abastecimento da Serra e de outros municípios da Grande Vitória.

É que segundo o morador de Santa Leopoldina João Carlos Miranda, a rede de coleta do esgoto doméstico que está sendo implantada não vai atender os imóveis que ficam mais próximos ao rio. A residência de Carlos é uma das que está mais baixa do que o encanamento.

“Os canos estão bem mais altos que o nível das casas; então, como o esgoto vai descer? Procurei a Cesan, mas não tive explicação. O pior, depois, é pagar a taxa de esgoto na conta de água e não ter o tratamento. O rio vai continuar sujo”, disse.

A reportagem enviou os questionamentos do morador à Cesan há três semanas, mas até o início da noite de ontem (13) não obteve retorno. O rio Santa Maria abastece a maior parte da Serra, exceto a região da Sede, que desde outubro de 2017 passou a ser atendida pelo rio Reis Magos.

Apesar da importância, o rio Santa Maria sofre com poluição, assoreamento, carreamento de agrotóxicos e outros resíduos em suas cabeceiras. Tanto que na cidade vizinha à Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, houve derramamento de corante industrial, no dia 8 de janeiro deste ano, usado para tingir crivos de ovos.

O crime ambiental aconteceu na sede de Santa Maria de Jetibá e uma análise encomendada pelo setor de meio ambiente daquele município constatou contaminação do rio pelos ácidos hidroclorídrico e acético, além de acetato de dimetilamônico, substâncias contidas no corante violeta trimazol LM.

Comentários

Mais notícias

Ação no sábado em Laranjeiras vai trocar cerveja por alimento e produtos de limpeza

Neste sábado (11) vai acontecer a segunda edição Festival Drive-Thru Solidário das Cervejarias, às 12 horas. A ação é uma parceria entre diversas cervejarias...

Pastoral já distribuiu mais de 16 mil marmitas à população de rua

A pandemia causada pelo novo coronavírus está agravando a desigualdade social no país. Um dos sintomas desse cenário é o aumento do número da...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!