27 C
Serra
terça-feira, 31 de março de 2020

Obra de esgoto da Cesan não garante despoluição de rio que abastece Serra

Leia também

Serra deve receber hospital de campanha para pacientes com Covid-19

Com previsão para entrega em 15 dias, a Serra pode ter o seu hospital de campanha, para atendimento às...

PDT nega aproximação com Rodrigo Caldeira

Lideranças do Partido Democrático Trabalhista (PDT) reagiram a matéria publicada no Tempo Novo, nesta segunda-feira (29), dando conta de...

Ceturb apresenta nesta quarta-feira plano de ação para evitar aglomerações nos terminais

Guardas municipais e agentes da Polícia Militar devem atuar nos terminais rodoviários da Grande Vitória para impedir aglomerações. Essa...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Morador alega que foi instalada em nível mais alto que o das casas. Foto: Divulgação Leitor

A obra de coleta e tratamento de esgoto que a Cesan está fazendo em Santa Leopoldina não vai garantir a despoluição do rio Santa Maria, responsável pelo abastecimento da Serra e de outros municípios da Grande Vitória.

É que segundo o morador de Santa Leopoldina João Carlos Miranda, a rede de coleta do esgoto doméstico que está sendo implantada não vai atender os imóveis que ficam mais próximos ao rio. A residência de Carlos é uma das que está mais baixa do que o encanamento.

“Os canos estão bem mais altos que o nível das casas; então, como o esgoto vai descer? Procurei a Cesan, mas não tive explicação. O pior, depois, é pagar a taxa de esgoto na conta de água e não ter o tratamento. O rio vai continuar sujo”, disse.

A reportagem enviou os questionamentos do morador à Cesan há três semanas, mas até o início da noite de ontem (13) não obteve retorno. O rio Santa Maria abastece a maior parte da Serra, exceto a região da Sede, que desde outubro de 2017 passou a ser atendida pelo rio Reis Magos.

Apesar da importância, o rio Santa Maria sofre com poluição, assoreamento, carreamento de agrotóxicos e outros resíduos em suas cabeceiras. Tanto que na cidade vizinha à Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, houve derramamento de corante industrial, no dia 8 de janeiro deste ano, usado para tingir crivos de ovos.

O crime ambiental aconteceu na sede de Santa Maria de Jetibá e uma análise encomendada pelo setor de meio ambiente daquele município constatou contaminação do rio pelos ácidos hidroclorídrico e acético, além de acetato de dimetilamônico, substâncias contidas no corante violeta trimazol LM.

Comentários

Mais notícias

PDT nega aproximação com Rodrigo Caldeira

Lideranças do Partido Democrático Trabalhista (PDT) reagiram a matéria publicada no Tempo Novo, nesta segunda-feira (29), dando conta de que o presidente da Câmara...

Ceturb apresenta nesta quarta-feira plano de ação para evitar aglomerações nos terminais

Guardas municipais e agentes da Polícia Militar devem atuar nos terminais rodoviários da Grande Vitória para impedir aglomerações. Essa é uma das medidas a...

Coronavírus na Serra: casos confirmados sobem para 14

A Serra tem 14 casos confirmados de coronavírus. A informação foi divulgada pelo governador Renato Casagrande (PSB) no início da noite desta segunda-feira (30)....

Rodrigo Caldeira está a um pé de deixar o partido de Audifax para se filiar no PDT de Vidigal

O presidente da Câmara da Serra, Rodrigo Caldeira está próximo de fazer uma curva de 180° e se filiar no PDT, do deputado federal,...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem