• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.183 curados
29.2 C
Serra
segunda-feira, 18 janeiro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.186 curados

Município prepara lei para multar quem desperdiça água

Leia também

Com ajuda da Polícia Militar, prefeitura impede invasão de área da Vale na Serra

O que poderia ser mais uma invasão de terra na Serra foi impedida no último domingo (17) numa ação...

Sem água há 3 dias, moradores da Serra se revoltam e protestam contra a Cesan

Após passar por mais de três dias sem receber uma gota de água nas suas residências, moradores do bairro...

UCL reverterá inscrições no vestibular em doações para grupo de proteção animal de Jacaraípe

A UCL, em Manguinhos, promoverá um vestibular especial pós-Enem, no próximo dia 06 de fevereiro, e os estudantes que...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mangueira usada para lavar fachada de shopping em Laranjeiras na manhã de ontem (8): Serra vai multar quem fizer isso a partir da semana que vem, como já está acontecendo em Cariacica, Vitória e Vila Velha por causa da seca
Mangueira usada para lavar fachada de shopping em Laranjeiras na manhã de ontem (8): Serra vai multar quem
fizer isso a partir da semana que vem, como já está acontecendo em Cariacica, Vitória e Vila Velha por causa da seca. Foto: Divulgação / Leitor

Por Bruno Lyra

A prefeitura da Serra deve começar a multar na próxima semana quem desperdiça água. O anúncio foi feito nesta quinta (08) pela Secretária de Meio Ambiente, Andreia Carvalho. A medida já foi adotada no início da semana pelos municípios de Cariacica, Vila Velha e Vitória, para evitar que as torneiras fiquem secas durante a severa estiagem que castiga o Estado e parte do Brasil.

“Já estamos elaborando uma minuta de lei nessa direção. Ela deverá ser apresentada à Câmara na semana que vem. Se aprovada, entra em vigor imediatamente. A ideia não é arrecadar, mas faz um trabalho de conscientização. As multas serão para quem lavar calçada, fachada de imóveis e carros com mangueiras” enumera, mas sem adiantar os valores das sanções.

A situação de abastecimento da Serra é delicada, situação que se repete com maior ou menor gravidade em todos os municípios capixabas. O Santa Maria, rio que abastece cidade, zona norte de Vitória, parte de Cariacica e Praia Grande em Fundão estava com a vazão de pouco mais de 3 mil litros por segundo na última quarta (07) segundo a Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh). Abaixo no nível crítico de 3,8 mil litros.

E só não é pior porque, em fevereiro último, o governo do ES determinou que a represa da hidrelétrica de Rio Bonito, nas cabeceiras do Santa Maria, acumulasse água ao invés de gerar eletricidade. “Se não chover há água para abastecimento humano até março”, declarou o presidente da Agerh, Paulo Paim.

No início da Semana o Governo do ES proibiu a irrigação e a captação de água neste e nos demais rios do estado durante o dia, das 05h às 18h. A exceção é para a captação voltada ao abastecimento humano. Nas regiões mais críticas, a irrigação e a captação para a indústria está proibida até de noite pelos próximos 15 dias. As multas para quem não cumprir podem passar de R$ 200 mil.

A seca deve piorar nos próximos dias. Segundo o meteorologista do Instituto Capixaba de Pesquisa e Extensão Rural (Incaper), Bruce Pontes, não há previsão de chuva forte nos próximos 15 dias. Bruce disse que em Vitória choveu apenas 610 mm entre janeiro e setembro, 23% abaixo do esperado. “O problema não é só a quantidade, mas a distribuição, que foi concentrada em poucos meses”, explica.

Indústrias sob o risco de paralisar produção

A situação já está parando indústrias em pontos mais críticos do ES. Vale, ArcelorMittal Tubarão e as milhares de indústrias localizadas nos polos industriais da Serra também correm risco, até porque no cenário de escassez ainda maior, o abastecimento humano será prioridade, como já adiantou o Governo.

Isto porque a Cesan está captando 2,7 mil litros por segundo do Santa Maria, quase toda água ainda disponível no rio. E na última quarta (07) disse que já restringiu o repassa para indústrias, inclusive Arcelor e Vale, as duas maiores consumidoras. A primeira caiu de 800 litros por segundo para 600. A segunda, de 200 litros para 100.

A empresa não diz até quando haverá água disponível neste sistema para as indústrias. Através de sua assessoria, a Arcelor diz que investiu R$ 23 milhões para aperfeiçoar a reutilização das águas usadas no processo industrial. Falou que está finalizando projeto para reutilizar água da estação de tratamento de esgoto de Manguinhos e que está apoiando a recuperação de 4,7 mil nascentes do rio Doce, bacia que não utilizada em sua unidade fabril na Serra.

Já a Vale, também pela assessoria de imprensa, diz que segue as orientações do governo para reduzir o consumo de água e que o índice de reuso na planta de Tubarão é de 81%.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!