22.7 C
Serra
sexta-feira, 03 de julho de 2020

Município acelera a aprovação de obras

Leia também

Viviane Miranda fará segunda live solidária no dia 12 de julho

A cantora Viviane Miranda, moradora de Feu Rosa, na Serra, fará sua segunda live solidária no próximo dia 12...

Como fica o direito da gestante a um acompanhante no momento do parto durante a pandemia

O direito a um acompanhante durante o parto é garantido pela lei federal nº 11.108 de 2005 (lei do...

Serra ultrapassa oito mil casos confirmados de coronavírus e atinge 320 mortes

Seguindo na liderança de casos confirmados de coronavírus no Espírito Santo, a Serra já ultrapassou a triste marca de...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Fioroti, Madalena e Maza: redução de três para um mês na legalização de obras. Foto: Divulgação
Fioroti, Madalena e Maza: redução de três para um mês na legalização de obras. Foto: Divulgação

Nos dois últimos anos, foram feitas alterações na legislação sobre a regularização de obras no município, a fim de desburocratizar e agilizar o desenvolvimento da cidade. As ações foram desenvolvidas pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano, presidida pelo engenheiro Silas Maza.

Um exemplo é a lei 4334 que reduziu em um terço o tempo de aprovação de obras. Ela institui o sistema de licenciamento simplificado, permitindo à prefeitura analisar apenas os índices urbanísticos relevantes para aprovar projetos de obras novos ou irregulares.

“Antes dessas alterações, o tempo médio entre o pedido e a aprovação do projeto era de cerca de 90 dias. Agora, esse tempo caiu para 30 dias”, relata o arquiteto da PMS, Alexandre Fiorotti.

Outra novidade é a lei de número 4331 de 2015 que regulariza qualquer edificação na cidade desde que seja paga uma contrapartida no valor de 2 a 5% do valor venal da edificação.

Também estão em andamento os ajustes do Plano Diretor Municipal (PDM), que rege o uso e ocupação do solo da cidade. Segundo Fiorotti “Esses ajustes visam diminuir a burocracia de projetos e estimulam que a obra seja feita de forma legal”.

Ele destaca as alterações de ocupação em Laranjeiras e na Sede, que irão permitir a ocupação de maior parte do terreno e acrescenta que nos próximos meses a consulta do PDM poderá ser feita pela internet, sendo que hoje são necessários 20 dias para conseguir consultá-lo.

A também arquiteta Madalena Fraga destaca a aprovação de três loteamentos na cidade, Continental, Ourimar e em Morada de Laranjeiras, que somam mais de 1000 lotes, além de outros loteamentos em processo de aprovação, como o da Cipasa, com 400 lotes. Ela salienta que a Serra foi o primeiro município do estado a implantar o sistema de licenciamento simplificado.

Comentários

Mais notícias

Como fica o direito da gestante a um acompanhante no momento do parto durante a pandemia

O direito a um acompanhante durante o parto é garantido pela lei federal nº 11.108 de 2005 (lei do acompanhante), que alterou a lei...

Serra ultrapassa oito mil casos confirmados de coronavírus e atinge 320 mortes

Seguindo na liderança de casos confirmados de coronavírus no Espírito Santo, a Serra já ultrapassou a triste marca de oito mil moradores infectados e...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!