• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 68.100 casos
  • 1.417 mortes
  • 66.111 curados
23.7 C
Serra
sexta-feira, 23 julho - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 68.100 casos
  • 1.417 mortes
  • 66.111 curados

Moro e Contarato protagonizam briga em audiência no Senado

Leia também

Estudo inglês demonstra que segunda dose de vacinas é essencial contra a variante delta

Mais um estudo demonstra a necessidade da segunda dose da vacina contra a Covid para que a proteção seja...

Gleisi Hoffman vem ao Estado para contribuir na formação de uma frente pró-Lula

  Com o avanço da popularidade de Lula no Espírito Santo e retomada do ex-presidente na preferência dos eleitores capixabas,...

Conheça a obscura e milionária história do TIMS, o maior calote que a população da Serra já tomou

    Localizado as margens da Rodovia do Contorno, é inegável a importância econômica e de geração de empregos do TIMS...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br
Gabriel Almeida é jornalista do Tempo Novo há mais de sete anos. Atualmente, escreve para diversas editorias do jornal.

Ministro e senador entraram em rota de colisão durante audiência. Foto: Divulgação / Agência Brasil

O ministro do Governo Bolsonaro, Sérgio Moro, está no Senado Federal nesta quarta-feira (19) para prestar esclarecimentos sobre os vazamentos do site The Intercept Brasil, que divulgou supostas conversas entre o ministro e procuradores da Lava Jato. O senador capixaba, Fabiano Contarato, discursou durante a Audiência Pública e acabou entrando em rota de colisão com Moro.

O senador disse que apoio a Lava Jato, mas afirmou que os fins não justificam os meios. Disse ainda ao Ministro que se fosse ele na situação em que Moro se encontra, já estaria preso. “Se eu, como delegado, fizesse contato com as partes de um inquérito, e isso chegasse ao MP, ou ao Judiciário, acho que sairia preso da delegacia, afirmou.

Mas o ponto alto da discussão aconteceu quando Sérgio Moro sugeriu que Fabiano Contarato defendia a anulação de decisões da Lava Jato, ao ouvir isso do ministro, o capixaba acabou se irritando.  “Não coloque palavras na minha boca porque eu defendo a operação. O que eu não defendo é quebra do principio de isonomia que é uma garantia constitucional e do Código de Processo Penal. Isso nós temos que enfrentar”, disse Contarato.

Moro diz que são conversas normais

Sobre as mensagens vazadas que podem por em dúvida a atuação de Moro enquanto juiz, o ministro Sérgio Moro disse durante a audiência que são conversas normais. “São normais conversas entre juízes, procuradores, policiais e entre advogados. A questão do (uso do) aplicativo (Telegram) foi apenas (para possibilitar) uma troca de mensagens mais rápida – se é que estas mensagens são de todo autênticas”, declarou Moro.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br
Gabriel Almeida é jornalista do Tempo Novo há mais de sete anos. Atualmente, escreve para diversas editorias do jornal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!