18.8 C
Serra
quinta-feira, 28 de Maio de 2020

Lei quer fim da rinha de animais no Espírito Santo

Leia também

Fábio Duarte, escolhido por Audifax para ser o seu sucessor, fala um pouco da sua história

Administrar uma Prefeitura como a da Serra, o município mais populoso do Estado, não é para qualquer um. Suceder...

Destruição da Mata Atlântica reduz no ES, mas cresce em outros estados

Em tempos onde Brasília age abertamente para reduzir a proteção ambiental no país, uma boa notícia para os capixabas....

Polícia Rodoviária apreende 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na Serra

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma carga de caminhão com 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O projeto surgiu de uma denúncia, que a CPI dos Maus-Tratos aos Animais recebeu de um animal que supostamente era usado em rinha num bairro nobre de Vitória. Foto: Divulgação

Foi aprovado nesta terça-feira (20) na Assembleia Legislativa, em Vitória, um projeto de lei que visa a proibição de realização de rinha de cães e outras espécies de animais no Espírito Santo. A matéria segue agora  para sanção do governador Paulo Hartung (PMDB).

O projeto é de autoria da deputada estadual Janete de Sá (PMN). “Esse projeto surgiu de uma denúncia, que recebemos na CPI dos Maus-Tratos aos Animais, que dava conta de que um cachorro, da raça bull terrier, ficava em uma casa na Mata da Praia, sem água e comida. O animal era retirado quinzenalmente do imóvel e quando retornava estava machucado  e agressivo. Ainda de acordo com a denúncia a suspeita era de que o animal era levado para rinhas clandestinas. Na época dos fatos, tentamos identificar o proprietário do cão para intimá-lo à prestar depoimento mas não obtivemos sucesso. Em função disso apresentei o projeto com o objetivo de repelir e punir os infratores que realizem rinha de cães ou qualquer outra espécie animal”, declarou a deputada Janete de Sá, autora do projeto.

A deputada justifica ainda em se projeto que a realização de rinhas é usualmente associada a jogos e apostas proibidas, estando os infratores tentando obter lucro a partir da dor e do sofrimento dos cães e demais espécies que são expostos à crueldade de se atacarem pelo simples prazer e ganância de seus organizadores e expectadores.

O projeto estabelece ainda uma multa de 2.000 VRTE – Valor de Referência do Tesouro Estadual, o que dá quase R$ 6 mil, em valores referentes ao ano de 2016.

No Brasil existe o Decreto nº 50.620, de 18 de Maio de 1961 que proíbe a rinha de galo e de outros animais. Porém, há relatos de que a prática é liberada em alguns estado por forças de liminares da Justiça.

Comentários

Mais notícias

Destruição da Mata Atlântica reduz no ES, mas cresce em outros estados

Em tempos onde Brasília age abertamente para reduzir a proteção ambiental no país, uma boa notícia para os capixabas. Houve redução de 31% na...

Polícia Rodoviária apreende 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na Serra

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma carga de caminhão com 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na madrugada desta quarta-feira (27), no...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!