23.2 C
Serra
sexta-feira, 05 de junho de 2020

Justiça condena Neidia: perda de mandato, reclusão em semiaberto e multa de R$ 700 mil

Leia também

Mudanças no primeiro escalão da Prefeitura da Serra

Dois secretários municipais, Luciana Malini e Jolhiomar Massariol, foram remanejados entre secretarias da Mulher e da Coordenadoria de Governo...

Serra liberada para investir dinheiro da taxa de luz no combate à covid-19

O município também irá investir em obras e pagamento de precatórios. Valor é referente a 30% da Cosip

Está na Câmara projeto que cria auxílio emergencial de R$ 400 para moradores da Serra

O município da Serra poderá ter seu próprio auxílio emergencial destinado aos moradores financeiramente mais afetados pela crise decorrente...
Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

Neidia era presidente da Câmara. Foto: Joatan Alves

Uma decisão da juíza Letícia Maia Saude determinou a perda do mandato da vereadora Neidia Maura Pimentel (PSD), afastada das funções na Câmara da Serra desde março de 2018. Neidia respondia ao processo (Nº: 0001828820180080048), onde era acusada de peculato, concussão (rachid) e associação criminosa.

A juíza fixou ainda pena de cinco anos e dez meses de reclusão, convertidos em regime semiaberto, e pagamento de 233 dias/multa; sendo que cada dia equivale a três salários mínimos, em valores referentes a março de 2019. Na prática, o valor da multa é de aproximadamente R$ 700 mil.

Com isso, Neidia fica definitivamente afastada das funções e ainda terá que pagar as custas processuais. Cabe recurso ao Tribunal de Justiça do Espírito Santo.

Outro acusado no processo, Flávio Serri, comemorou a decisão. “Fui absolvido de todas as acusações, a juíza finalizou o meu processo, que iniciou por causa das mentiras de adversários políticos e pessoas que se venderam para eles para prestarem falso testemunho contra mim. Deus é maravilhoso e sua justiça tarda mas não falha. Desde a fase da investigação até agora foram 3 anos, fui grampeado, tive meus sigilos bancários e fiscal quebrados. Essa sentença me fortalece para continuar minha militância, zelando pela probidade e o dinheiro público. A população pode ver que sou inocente. Sigo em frente agora mais motivado que nunca”, afirmou.

A defesa da vereadora foi procurada para comentar a decisão, mas até o momento não retornou ao contato da reportagem.

Comentários

Mais notícias

Serra liberada para investir dinheiro da taxa de luz no combate à covid-19

O município também irá investir em obras e pagamento de precatórios. Valor é referente a 30% da Cosip

Está na Câmara projeto que cria auxílio emergencial de R$ 400 para moradores da Serra

O município da Serra poderá ter seu próprio auxílio emergencial destinado aos moradores financeiramente mais afetados pela crise decorrente do coronavírus. Isso porque já...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!