• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados
24.7 C
Serra
quarta-feira, 12 maio - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados

Idosa de 66 anos vence o coronavírus após 16 dias internada na Serra

Leia também

Em 24h, Serra perde mais 9 moradores para o coronavírus e registra 322 novos infectados

A Serra atingiu, no final da tarde desta quarta-feira (12), a triste marca de 1.210 moradores que morreram por...

Prefeitura da Serra abre 3.500 vagas para vacinação contra gripe nesta quarta

A Prefeitura da Serra, através da Secretaria Municipal de Saúde (Sesa), vai abrir 3.500 novas vagas de vacinação contra...

Parceria entre Prefeitura e Sebrae quer capacitar lideranças e contribuir para o turismo da Serra

Fortalecer municípios que possuem pontos turísticos no Espírito Santo. Esta é a intenção da parceria que o Sebrae está...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Dona Zilma recebeu alta no último domingo (27). Foto: Divulgação

Uma batalha travada pela vida. Assim podemos resumir a história de recuperação da Dona Zilma Barreira da Silva, de 66 anos, após receber a notícia de que estava infectada pelo novo coronavírus. A moradora de Planalto Serrano, na Serra, recebeu alta do Hospital Dório Silva no último domingo (27), onde ficou internada por aproximadamente 16 dias. Hoje, a guerreira está em sua casa, e afirma com toda sua força: “eu venci a Covid-19”.

De acordo com as informações apuradas pelo TEMPO NOVO, a moradora começou a se sentir mal no final de junho. Ao chegar a sua casa com a sobrinha, Dona Zilma afirmou que não estava se sentindo bem. Os primeiros sintomas sentidos por ela foram dores no corpo, muita tosse, falta de ar e dores de cabeça. Durante esse período, ela fez uso de chás e tentava ao mesmo tempo se convencer que estava bem.

Mas com o quadro piorando, a idosa procurou a Unidade Básica de Saúde de Planalto Serrano, onde realizou os exames necessários e recebeu a confirmação de que estava contaminada pelo coronavírus. No mesmo dia, ela foi removida de ambulância para a UPA de Castelândia. Sua família não pode mais vê-la desde então. Enquanto estava internada, Dona Zilma contou com as orações de seus familiares.

“No dia seguinte recebemos a informação que ela já se encontrava no Dório Silva. Ainda na enfermaria conseguíamos conversar com ela ao telefone e no dia 14 a família recebeu o primeiro boletim médico onde informava que Dona Zilma havia sido transferida para UTI, seu caso era de grave para gravíssimo, pois ela é diabética e hipertensa. O boletim médico ainda informou que era para orar e pedir um milagre, pois o caso dela era de óbito”, afirmou a filha de Zilma, Zélia Barreira.

De acordo com Zélia, depois daquele dia, as notícias não eram nada animadoras e a partir daí a família começou a fazer correntes de oração para a recuperação de sua mãe. “O nosso mundo desabou e o chão se abriu! Sentimos a necessidade de recorrer àquele que melhor entende de milagres: Deus. Fizemos uma imensa corrente de oração. Os boletins não eram animadores: ela foi entubada, os pulmões não respondiam as medicações, havia a possibilidade de um dos rins parar de funcionar e sua pressão chegou a 20”, explicou.

A recuperação do coronavírus…

Dona Zelma (meio) junto com seus familiares em sua residência. Foto: Divulgação

Já no dia 18 deste mês, Dona Zilma saiu da entubação, porém o boletim informou um quadro preocupante: seu pulmão apresentava água na pleura e o risco de óbito permanecia, além disso, sua pressão estava oscilando muito.  No dia 22, a idosa saiu da UTI, indo para o semi-intensivo, onde iniciou a fisioterapia pulmonar, mas já se alimentava sozinha, estava interagindo com todos que tinha contato no hospital.

“No dia 24 ela foi para a enfermaria, momento esse impossível aos olhos dos seres humanos mas possível para Deus, e, no domingo, ela teve alta e se encontra no aconchego do seu lar.  Foram realizadas várias chamadas de vídeos entre os amigos e familiares pois a saída do hospital como havíamos programado não aconteceu, mas ocorreu como Deus permitiu e estamos felizes. O sentimento a cada um que nos ajudou em oração é de Gratidão”, destacou sua filha.

Dona Zilma é mãe de duas filhas: Zélia Barreira da Silva – 44 anos e Marilene Barreira da Silva – 47 anos. Atualmente, mora em Planalto Serrano, juntamente com sua irmã irmã Iony Barreira e familiares.

Posted by Ailéz Barreira Da Silva on Sunday, July 26, 2020

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!