22.7 C
Serra
terça-feira, 11 de agosto de 2020

Idosa de 66 anos vence o coronavírus após 16 dias internada na Serra

Leia também

Retorno das aulas presenciais preocupa autoridades do Estado

Autoridades políticas criticam o anúncio do governo do Estado de que deve retornar as aulas, após o período de...

Opinião: professora diz que retorno às aulas é irresponsabilidade e vai expor profissionais e alunos ao coronavírus

* Fabíola dos Santos Cerqueira | Professora de Sociologia da rede estadual * Hilton Dominczak | Sociólogo Nos últimos cinco meses, desenvolvemos Pesquisas...

Vereadores da Serra adiam votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)

Após entrar em pauta para votação nesta segunda-feira (10), o projeto de lei contendo a Lei de Diretrizes Orçamentárias...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Dona Zilma recebeu alta no último domingo (27). Foto: Divulgação

Uma batalha travada pela vida. Assim podemos resumir a história de recuperação da Dona Zilma Barreira da Silva, de 66 anos, após receber a notícia de que estava infectada pelo novo coronavírus. A moradora de Planalto Serrano, na Serra, recebeu alta do Hospital Dório Silva no último domingo (27), onde ficou internada por aproximadamente 16 dias. Hoje, a guerreira está em sua casa, e afirma com toda sua força: “eu venci a Covid-19”.

De acordo com as informações apuradas pelo TEMPO NOVO, a moradora começou a se sentir mal no final de junho. Ao chegar a sua casa com a sobrinha, Dona Zilma afirmou que não estava se sentindo bem. Os primeiros sintomas sentidos por ela foram dores no corpo, muita tosse, falta de ar e dores de cabeça. Durante esse período, ela fez uso de chás e tentava ao mesmo tempo se convencer que estava bem.

Mas com o quadro piorando, a idosa procurou a Unidade Básica de Saúde de Planalto Serrano, onde realizou os exames necessários e recebeu a confirmação de que estava contaminada pelo coronavírus. No mesmo dia, ela foi removida de ambulância para a UPA de Castelândia. Sua família não pode mais vê-la desde então. Enquanto estava internada, Dona Zilma contou com as orações de seus familiares.

“No dia seguinte recebemos a informação que ela já se encontrava no Dório Silva. Ainda na enfermaria conseguíamos conversar com ela ao telefone e no dia 14 a família recebeu o primeiro boletim médico onde informava que Dona Zilma havia sido transferida para UTI, seu caso era de grave para gravíssimo, pois ela é diabética e hipertensa. O boletim médico ainda informou que era para orar e pedir um milagre, pois o caso dela era de óbito”, afirmou a filha de Zilma, Zélia Barreira.

De acordo com Zélia, depois daquele dia, as notícias não eram nada animadoras e a partir daí a família começou a fazer correntes de oração para a recuperação de sua mãe. “O nosso mundo desabou e o chão se abriu! Sentimos a necessidade de recorrer àquele que melhor entende de milagres: Deus. Fizemos uma imensa corrente de oração. Os boletins não eram animadores: ela foi entubada, os pulmões não respondiam as medicações, havia a possibilidade de um dos rins parar de funcionar e sua pressão chegou a 20”, explicou.

A recuperação do coronavírus…

Dona Zelma (meio) junto com seus familiares em sua residência. Foto: Divulgação

Já no dia 18 deste mês, Dona Zilma saiu da entubação, porém o boletim informou um quadro preocupante: seu pulmão apresentava água na pleura e o risco de óbito permanecia, além disso, sua pressão estava oscilando muito.  No dia 22, a idosa saiu da UTI, indo para o semi-intensivo, onde iniciou a fisioterapia pulmonar, mas já se alimentava sozinha, estava interagindo com todos que tinha contato no hospital.

“No dia 24 ela foi para a enfermaria, momento esse impossível aos olhos dos seres humanos mas possível para Deus, e, no domingo, ela teve alta e se encontra no aconchego do seu lar.  Foram realizadas várias chamadas de vídeos entre os amigos e familiares pois a saída do hospital como havíamos programado não aconteceu, mas ocorreu como Deus permitiu e estamos felizes. O sentimento a cada um que nos ajudou em oração é de Gratidão”, destacou sua filha.

Dona Zilma é mãe de duas filhas: Zélia Barreira da Silva – 44 anos e Marilene Barreira da Silva – 47 anos. Atualmente, mora em Planalto Serrano, juntamente com sua irmã irmã Iony Barreira e familiares.

Posted by Ailéz Barreira Da Silva on Sunday, July 26, 2020

Comentários

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Opinião: professora diz que retorno às aulas é irresponsabilidade e vai expor profissionais e alunos ao coronavírus

* Fabíola dos Santos Cerqueira | Professora de Sociologia da rede estadual * Hilton Dominczak | Sociólogo Nos últimos cinco meses, desenvolvemos Pesquisas com alunos do Ensino Médio...

Vereadores da Serra adiam votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)

Após entrar em pauta para votação nesta segunda-feira (10), o projeto de lei contendo a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2021 foi retirado da...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!