Crime ambiental
Crime ambiental

Homens são flagrados abrindo a barra da lagoa de Carapebus

A abertura artificial da barra da lagoa de Carapebus é um crime ambiental recorrente nos últimos anos no litoral da Serra. E voltou a ocorrer em maio, entre os dias 12 e 13. Um vídeo feito por morador flagrou pessoas cavando areia da praia e criar um canal para escoar as águas da lagoa para mar.

O morador que gravou as imagens pediu para não ter o nome divulgado por temer represálias. Veja o vídeo do momento em que foi iniciada a escavação, é possível ver até crianças participando.

Segundo ele a abertura começou no dia 12 e foi concluída no dia seguinte. Não se sabe o motivo que levou as pessoas a abrirem a lagoa desta vez, mas segundo o morador a prática clandestina é feita geralmente com dois objetivos. Um é para facilitar a captura de peixes, uma vez que o dreno faz grande parte da água da lagoa escoar para o mar.

Quando isso ocorre surgem imensos bancos de areia e a lagoa vira um fio d’água cercado por alguma poças, deixando milhares de peixes presos e fáceis de pegar. A lagoa só volta a encher quando as próprias forças naturais voltam a fechar o canal com areia, o que pode durar dias.

A outra razão da abertura artificial, prossegue o morador, tem a ver com a ocupação urbana desordenada da região. É que nos últimos anos terrenos próximos às margens da lagoa foram ocupados irregularmente por residências. Em épocas de muita chuva o nível da lagoa sobe e atinge esses casas. Então para fazer baixar o nível da água é escavada a barra da lagoa.

Veja outro vídeo do momento em que a abertura se expande com a força das águas, gerando até risco de afogamento para banhistas e pescadores.

Vale lembrar que além da legislação federal de proteção aos mananciais e faixas costeiras a lagoa de Carapebus faz parte da Área de Proteção Ambiental (APA) Estadual de Praia Mole, portanto deveria estar sendo protegida.

Diretor da APA, o biólogo Edson Valpassos, explica o porque da abertura artificial da barra prejudicar a lagoa. “Aquilo que as pessoas estão fazendo ao abrir a barra da lagoa é o que a natureza vai fazer mais cedo ou mais tarde. Entretanto é evidente que não se deve interferir no ritmo da natureza. Deveria se esperar que a lagoa abrisse naturalmente e não forçar a abertura da barra. Até porque esse processo é sincronizado com a ecologia dos animais”, observa.

Edson lembra que os peixes são os mais afetados. “Os peixes vão amadurecer seu processo de desenvolvimento de forma que alguns vão migrar para dentro da lagoa e outros em direção ao mar. E quando a gente antecipa isso, a gente está permitindo que justamente haja algum tipo de impacto como é percebido no esvaziamento da lagoa. Aumenta a quantidade de peixes de água doce que vão na correnteza para o mar e morrem por causa da salinidade. E com a água da lagoa baixa também tem mortalidade de peixes porque a superfície diminui, consequentemente a troca gasosa também. Por isso diminui o oxigênio. Em resumo, é algo que não deve ser feito”, alerta.

Município diz que vai apertar fiscalização

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Serra (Semma) informou na tarde de ontem (01), através de nota, que não recebeu denúncia sobre a abertura da lagoa entre os últimos dias 12 e 13 de maio. Mas disse que enviaria uma equipe ainda ontem para apurar o caso.

A Semma também afirmou que irá intensificar as rondas na região para tentar coibir a prática.

Histórico de degradação

Abertura indevida da barra, pesca predatória e ocupação desordenada são só alguns dos problemas da lagoa Carapebus. O manancial também sofre com a poluição pelo lançamento de esgoto doméstico e em janeiro deste ano registrou mortandade em massa de peixes.

Outro impacto existente – e ainda pouco mensurado – é o da precipitação de pó preto sobre o espelho d’água e o carreamento deste material pela chuva que cai no entorno. Isto porque a região de Carapebus é vizinha ao Complexo Industrial de Tubarão (Vale e ArcelorMittal), principal responsável pela emissão de pó preto e outros poluentes siderúrgicos no ar da Grande Vitória.

A lagoa de Carapebus fica no extremo sul do litoral da Serra, região com desafios ambientais, sociais e grande potencial turístico. Foto: Arquivo TN/Edson Reis

Sobre este tema, um estudo inédito desenvolvido pela Universidade de São Carlos (SP) em parceria com a UFES e instituições de pesquisa da Argentina, França, Reino Unido e Austrália, está avaliando o impacto do pó preto no meio aquático. Além de entender como afeta peixes e outros organismos aquáticos, o estudo também quer mensurar o dano do pó preto à saúde humana considerando que as partículas de poeira ficam menor ao contato com a umidade, podendo ser mais absorvidas pelo organismo.

Uma das pesquisadoras que está à frente do estudo é a bióloga serrana Iara de Souza, que passou boa parte de sua vida morando em Portal de Jacaraípe.

 

Serra Podcast

Conheça o Serra Podcast: a nova forma do Tempo Novo se comunicar com você, leitor.

Serra Podcast

Conheça o Serra Podcast: a nova forma do Tempo Novo se comunicar com você, leitor.

Feira empreendedora da Serra terá mais de 60 expositores e música

Os preparativos para a primeira Feira Serra Cidade Empreendedora e Criativa estão a todo vapor. Serão quatro dias de evento que vão reunir artesãos,...

Agendamento on-line na Serra para vacinas contra covid-19 e Influenza

Atenção moradores da Serra, pois nesta quinta (18), a partir das 18h, a Secretaria de Saúde (Sesa) vai liberar novas doses de vacina contra...

Restaurante da Serra abre vagas de emprego sem exigir experiência e escolaridade

Referência na culinária serrana, o restaurante de Jacaraípe, Dona Nete, abriu novas vagas de emprego para moradores da Serra. Ao todo, são quatro chances...

No dia do estagiário, Jovem Valor divulga 76 vagas para Serra e região

Hoje (18) comemora-se o dia do estagiário. E para que mais estudantes da Serra possam celebrar essa data, a agência de recrutamento Jovem Valor...

Jiboia é resgatada dentro de área de loja na Serra

A Serra tem muita região de mata, lagoas e rios que são locais propícios para a sobrevivência de muitos animais silvestres e diversos deles...

Procuradoria do ES abre 20 vagas de estágio com bolsa de R$ 1.145

A Procuradoria Geral do Espírito Santo abriu inscrições para o Programa de Estágio que visa a contratação de 20 estudantes do curso de Direito....

Vacinação sem agendamento contra a pólio e outras doenças na Serra

Neste sábado (20), vai acontecer o Dia D da Campanha de Multivacinação e Pólio em vários locais da Serra. O objetivo é recuperar a...

Serra realiza Plantão de CadÚnico para cadastrar novos moradores

Neste sábado (20) a comunidade de Novo Horizonte, na Serra, que precisa de cadastrar ou atualizar o cadastro no CadÚnico terá oportunidade de receber...

Morador da Serra é preso ao receber 100 quilos de maconha importada em casa

Um morador do bairro José de Anchieta, na Serra, foi preso enquanto recebia mais de 100 quilos de maconha vinda do exterior em sua...
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!