• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 41.410 casos
  • 767 mortes
  • 40.067 curados
22.9 C
Serra
quinta-feira, 04 março - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 41.410 casos
  • 767 mortes
  • 40.067 curados

Milhares de peixes mortos são encontrados em lagoa poluída por esgoto na Serra

Leia também

Festival Voadora terá 12 shows autorais com destaques da música capixaba  

Cento e oitenta e seis projetos foram inscritos para o processo de seleção do Festival Voadora, cujas apresentações acontecem entre...

Detran implanta exame teórico digital na Ciretran Serra Sede e facilita vida de moradores

O município da Serra receberá mais uma Sala de Exames Teóricos digital do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito...

Vereador defende regulamentação do serviço de mototáxi na Serra

  Por meio do Projeto Indicativo de Lei 43/2021, o vereador Pablo Muribeca (Patriota) defende a regulamentação do serviço de...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Fotos de moradores mostram peixes mortos na lagoa. Crédito: Divulgação

Conhecida por sua beleza natural que atrai moradores e turistas, a lagoa de Carapebus amanheceu com muito odor e tomada por milhares de peixes mortos neste domingo (24). A cena trágica foi registrada por moradores que frequentavam o balneário, onde o manancial deságua. O lançamento irregular de esgoto pode ser a causa da mortandade ocorrida neste fim de semana.

Vídeos e fotos recebidos pelo TEMPO NOVO mostram milhares de peixes boiando na água e outros já lançados nas margens da lagoa. Segundo ambientalistas, não se trata de um fenômeno natural, mas há grandes chances da causa ser o esgoto in natura que é jogado há anos nessas águas.

“Isso é uma tragédia, a causa não é natural com toda certeza. Essa situação é fruto da ação humana e bastante provável que seja poluição por esgoto”, disse o biólogo Cláudio Santiago em conversa com a reportagem.

O ambientalista Eraylton Moresch também acusa o lançamento irregular de esgoto como causa da mortandade. Ele ainda culpa a parceria público-privada (PPP) entre a Ambiental Serra e a Cesan (Companhia Espírito Santense de Saneamento) pela ‘ineficácia’ no tratamento e coleta de esgoto. “Certamente (a causa) é a ineficácia da PPP”, disse.

Prefeitura diz que mortes de peixes podem ter sido causadas por esgoto e aciona Ministério Público

A reportagem acionou a Prefeitura da Serra relatando o problema registrado. Por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, o Município informou que uma equipe esteve nesta manhã de domingo na Lagoa de Carapebus e constatou a presença de lançamento de alguns pontos de esgoto sem tratamento no local, o que pode ser a causa da mortandade de peixes.

Disse ainda que o secretário de Meio Ambiente, Cláudio Denicoli, agendou uma reunião no Ministério Público para a próxima quarta-feira (27) para reavaliar os contratos, investimentos e cronograma de ação da Ambiental Serra e da Cesan, bem como a responsabilidade de cada empresa em relação ao lançamento de esgotos sem tratamento na lagoa.

O TEMPO NOVO também entrou em contato com a Cesan, mas não obteve retorno até a finalização deste texto. Caso a demanda seja respondida, a matéria será atualizada.

Vereador cobra análise da água

Anderson (camisa azul) acompanha e cobra solução para problemas relacionados ao esgoto nesta região há anos. Foto: Divulgação

O vereador da Serra, Anderson Soares, acompanhou de perto a situação e disse que irá cobrar análise da água aos órgãos competentes. “Vou enviar ofício aos órgãos competentes cobrando a analise da água”, informou.

Ainda segundo o parlamentar, que mora em Praia de Carapebus e denuncia irregularidades no tratamento e lançamento de esgoto há anos, um helicóptero da Polícia Militar estava fazendo sobrevôo na região da lagoa afetada, mas não se sabe ao certo se a operação está relacionada com a situação ocorrida mais cedo. 

Veja vídeo: 

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Saiba mais
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!