Grade com risco de cair preocupa passageiros no Terminal de Laranjeiras

Esse não e o único terminal da Serra que está com problema. Em Carapina, uma parte do teto foi escorada e usuários ficaram preocupados

0
Grade com risco de cair preocupa passageiros no Terminal de Laranjeiras
Grade escorada no Terminal de Laranjeiras. Foto: Gabriel Almeida

Os passageiros do sistema Transcol que utilizam o Terminal de Laranjeiras estão preocupados com uma grade que fica em uma das entradas do espaço, que recebe milhares de pessoas diariamente.

A estrutura, que é utilizada para impedir que usuários entrem no terminal sem pagar a tarifa, está cedendo e, segundo passageiros, pode se soltar e ferir alguém que esteja passando pela calçada no momento do possível incidente.

A moradora de Colina de Laranjeiras, Natália da Costa, entrou em contato com o TEMPO NOVO cobrando soluções da Ceturb para o problema que se arrasta há cerca de um mês. Segundo ela, a situação já foi denunciada para o Governo do Estado, mas até agora não foi solucionada.

“Tem um risco muito grande daquela grade cair em cima de alguém. As pessoas esperam atendimento na loja da GVBus naquele mesmo local. Fora as centenas de passageiros que circulam por ali diariamente. Já denunciamos a Ceturb, mas nada foi feito”, denuncia a passageira.

Ceturb diz que veículo causou dano na estrutura

Para o TEMPO NOVO, a Ceturb informou que um veículo danificou a grade. Com isso, a companhia entrou em contato com a empresa responsável para que providencie o conserto.

Teto escorado no Terminal de Carapina

Já se passaram mais de três meses que a Ceturb instalou uma estrutura de andaime para escorar uma viga do teto do Terminal de Carapina, na Serra. Mas, apesar disso, o Governo do Estado ainda não tem um prazo específico para resolver o problema que assusta e preocupa os usuários do espaço. A estrutura foi escorada por pedido da Defesa Civil, mas o Estado garante que não há risco de queda e diz que a medida foi para “evitar transtornos”.

A reportagem do TEMPO NOVO esteve no local e constatou que existe um vão entre as vigas do teto do terminal no ponto onde foi colocada a escora. Mas, a Ceturb garantiu que a situação não apresenta nenhum risco e confirmou que foi um pedido da Defesa Civil. “O que foi constatado foi uma abertura excessiva nos encaixes do console e, por precaução, foi feito o escoramento, disse em nota. O escoramento ocorreu no dia 6 de junho.

Questionada sobre quando o problema será resolvido, a Ceturb informou que o Instituto de Obras Públicas do Espírito Santo (Iopes) já está orçando o serviço de recuperação para lançar o edital e contratar a empresa que executará a obra. Por conta disso, a Ceturb ainda não consegue definir um prazo para solucionar a situação.

Comentários