• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 50.377 casos
  • 956 mortes
  • 48.328 curados
28.4 C
Serra
terça-feira, 13 abril - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 50.377 casos
  • 956 mortes
  • 48.328 curados

Gambá é resgatado dentro de condomínio em bairro da Serra

Leia também

Após paralisação dos rodoviários, ônibus do Transcol ficam superlotados na Serra

Logo após causar transtornos na vida de milhares de capixabas, a paralisação promovida por rodoviários do sistema Transcol deixaram...

Rodoviários impedem retorno do Transcol e deixam população sem ônibus nesta terça

A terça-feira (13) começou com grandes dificuldades para quem depende do transporte público nas cidades da Grande Vitória, inclusive...

Feu Rosa registra 41 mortes e já possui 1.932 moradores infectados pelo coronavírus

Sendo uma das comunidades mais afetadas pela pandemia de coronavírus na Serra, Feu Rosa segue contabilizando altos números de...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O resgate do gambá aconteceu na manhã desta quarta-feira (03). Foto: Divulgação

Na manhã desta quarta-feira (03) a equipe de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente resgatou um gambá dentro de um condomínio no bairro Morada de Laranjeiras, na Serra.

O bichinho estava no condomínio Vila dos Pássaros e um morador entrou em contato com a fiscalização a fim de dar o destino correto para o animal.

Segundo o Auditor Fiscal de Atividades Urbanas de Meio Ambiente, Ronaldo Freire o gambá deu muito trabalho. “Iremos levar ele para o Cetas – Centro de Triagem de Animais (Cetas). Segundo o morador tem muito animal na região. Isso se dá por conta dos remanescentes de mata que a comunidade possui”, destaca.

Encontrar um gambá em meio a região urbana, não é um fato isolado, eles aparecem sempre em condomínios que possuem matas próximas.

Em Jardim Limoeiro, no Parque dos Pinhos, muitos gambás passeiam pelas cercas da edificação. “O homem está invadindo o espaço dos bichinhos, os condomínios estão avançando sobre áreas sensíveis e está cada vez mais comum ver esses animais passeando em locais que antes não eram tão vistos. Eu adoro contemplar. Mas fico com muita pena, pois já vi muitos serem atropelados e até eletrocutados na fiação elétrica dos postes na rua”, disse Bárbara Lopes, moradora do Pinhos.

O gambá (gênero Didelphis) é um marsupial da família Didelphidae. O gambá tem hábitos noturnos. Todas as espécies são onívoras, aproveitando-se de praticamente qualquer tipo de material comestível que encontram em suas constantes andanças noturnas. Alimentos tão diversos como frutas, grãos, insetos e outros artrópodes, pequenos vertebrados ou carniça são parte regular de sua dieta.

Segundo a Prefeitura da Serra, em 2020,  a fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente (Semma) realizou 538 resgates. Em 2019, foram 490.

Esse aumento já começou a ser percebido logo no primeiro semestre do ano passado, quando houve um acréscimo de cerca de 40% de resgates de animais silvestres, comparado ao mesmo período de 2019. Ao todo, de janeiro a junho, foram 262 chamados para resgate. Em 2019, no mesmo período, tinham sido 185.

Entre os animais que mais “passearam” nas áreas urbanas da cidade estão as cobras e os gambás. Mas também houve chamados para resgate de outros bichos mais “incomuns”, como raposa, jacaré e bicho-preguiça.

Os animais machucados são encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), que fica na Área de Proteção Ambiental (Apa) da lagoa Jacuném, em Barcelona. O local pertence ao Ibama.

Os moradores que encontrarem animais silvestres devem acionar a equipe de resgate pelos telefones (27) 3291-7435 ou (27) 99951-2321. Importante ressaltar que maltratar animal silvestre é crime.

Serviço:

Fiscalização Ambiental da Serra

Telefone: 99951-2321/ 0800 283 9780

E-mail: [email protected]

Cetas – Centro de Triagem de Animais

Telefone: 27 3241-8374

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!