22.7 C
Serra
terça-feira, 11 de agosto de 2020

Festa das raças – Leia a coluna ‘Cidade, Cultura e Política’

Leia também

Mais de 88% dos moradores da Serra infectados pela Covid-19 já estão curados

Com a diminuição nos números de mortes e casos confirmados de coronavírus, a Serra também tem registrado um aumento...

Retorno das aulas presenciais preocupa autoridades do Estado

Autoridades políticas criticam o anúncio do governo do Estado de que deve retornar as aulas, após o período de...

Opinião: professora diz que retorno às aulas é irresponsabilidade e vai expor profissionais e alunos ao coronavírus

* Fabíola dos Santos Cerqueira | Professora de Sociologia da rede estadual * Hilton Dominczak | Sociólogo Nos últimos cinco meses, desenvolvemos Pesquisas...
Odmar Péricles Nascimentohttps://www.portaltemponovo.com.br
Odmar Péricles Nascimento é sociólogo e membro da Academia de Letras e Artes da Serra

Odmar Péricles é o autor da coluna. Foto: Divulgação

Gosto de amanhecer dia vinte e seis, vendo chegar povo e banda de congo na Igreja matriz. E inevitavelmente viajo nas coisas que sei da história dessa cidade. Igreja, povo e banda de congo são condutores constituintes de todas as transformações testemunhadas pelo majestoso Mestre Álvaro.

A iglésia (como chamavam desde o latim) é âncora da história. Nela estão mentes e mãos, de muitos períodos, manifestações e credos. E que Atravessaram gerações, também geradoras e transmissoras que mantém viva as tradições. E embora não professe fé, dela extraio o ritmo e encadeamento dos fatos que giram ao seu redor, fazendo estabelecer a história da cidade.

No entanto, essa parte da história é mais contempladora da porção branca de nossa miscigenada população.

A outra parte desse enredo é ver entre os veneradores da fé, entre aqueles que peregrinam a santa fé que os confortam: as pessoas do povo, que ocupam os metros quadrados do templo. Ver entre eles os músicos da banda de congo, é deveras encantador. Homens congueiros com seus atabaques, casacas e tambores; e as saias rodadas da porta-estandarte e passistas do passo-do-congo; e seus cânticos de pura exaltação a saudade.

Essa é a outra face dessa mesma cidade. A história negra que ganhou força e expressão sincronizando-se aos feitos europeus nessa terra.

A cidade com suas histórias: a dos primeiros habitantes, de raros registros. A de portugueses que aqui se estabeleceram, organizando a produção, defesa e habitação na vila; e de negros capturados nas aldeias dos confins do continente africano. E que trouxeram junto com o trabalho forçado, sons e ritmos, ainda tão vivos e transcendentes do tempo.

Fazem quatrocentos e sessenta e três anos que Serra é palco e inspiração de seu histórico desenvolvimento dos componentes dessa festa. De fé, religiosidade, arte e da beleza de suas raças.

Comentários

Odmar Péricles Nascimentohttps://www.portaltemponovo.com.br
Odmar Péricles Nascimento é sociólogo e membro da Academia de Letras e Artes da Serra

Mais notícias

Retorno das aulas presenciais preocupa autoridades do Estado

Autoridades políticas criticam o anúncio do governo do Estado de que deve retornar as aulas, após o período de suspensão provocado pela pandemia com...

Opinião: professora diz que retorno às aulas é irresponsabilidade e vai expor profissionais e alunos ao coronavírus

* Fabíola dos Santos Cerqueira | Professora de Sociologia da rede estadual * Hilton Dominczak | Sociólogo Nos últimos cinco meses, desenvolvemos Pesquisas com alunos do Ensino Médio...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!