25.8 C
Serra
sábado, 18 de janeiro de 2020

É possível ter um animal de estimação sofrendo com alergias, diz pediatra

Leia também

Novo surto de dengue | Confira a ‘Charge do TN’ desta semana

Um aviso emitido pelo Ministério da Saúde deixou diversos municípios capixabas em alerta, inclusive a Serra. Isso porque 11...

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel,...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Para a pediatra, Déborah Rocha, o grande problema é que as casas com pets exigem uma atenção especial com a limpeza e, muitas vezes, isso acaba não acontecendo com tanta frequência, o que favorece a proliferação de ácaros – os principais causadores de alergias. Foto: Divulgação

É possível ter um animal de estimação sofrendo com alergias? Para a pediatra Déborah Rocha, do Plunes Centro Médico, a resposta é positiva. As alergias são causadas por substâncias alergênicas originárias do corpo ou mucosa dos bichos, que se desprendem da pele do pet e fixam-se no ambiente, ocasionando as alergias.

O grande problema é que as casas com pets exigem uma atenção especial com a limpeza e, muitas vezes, isso acaba não acontecendo com tanta frequência, o que favorece a proliferação de ácaros – os principais causadores de alergias. O que acontece, no fim das contas, é que os pets acabam levando a culpa das alergias que, na realidade, são causadas pelos ácaros.

“É possível ter um pet mesmo manifestando crises alérgicas desde que sejam tomados alguns cuidados específicos no local onde o animal vive. A primeira dica é manter uma rotina de limpeza em todas as áreas onde o bichinho circula. Isso ajuda a evitar ácaros e substâncias alergênicas. Já para os sintomas, pode-se usar medicações de efeito antialérgico ou a imunoterapia, que diminui a sensibilidade do paciente a determinadas substâncias”, recomenda a especialista.

O ácaro é um inseto que vive em carpetes, tecidos, sofás, cortinas, colchões, onde absorve umidade do ambiente e se alimenta de matéria orgânica, especialmente da descamação da pele humana e de animais. Lavar as cobertas com água morna e secar na secadora em alta temperatura, ter o mínimo possível de carpetes, móveis estofados e cortinas de tecido (prefira persianas de vinil facilmente laváveis), além de evitar bichos de pelúcia nos quartos contribuem para aliviar as crises alérgicas.

As alergias podem ser detectadas por testes de reação cutânea e de dosagem no sangue de igE específico. Quando a pessoa tem o teste positivo e sintomas, caracteriza-se a alergia. Quando somente tem o teste positivo e não tem sintomas ao ser exposta ao alérgeno, caracteriza-se a sensibilização.

“O único mal que o ácaro causa ao humano é desencadear reações alérgicas. Então a limpeza constante realmente funciona, já que diminui os ácaros e as substâncias alergênicas dos pets”, diz a pediatra.

Texto de Maria Emilia Silveira, da Agência Souk

Comentários

Mais notícias

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel, em São Diogo. O evento...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados todas as sextas-feiras na edição...

Acabou o tempo de Audifax | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Yuri Scardini  Está marcado para logo após o Carnaval (final de fevereiro) a revelação do prefeito Audifax Barcelos (Rede) sobre o escolhido para defender...

Apocalipse das águas | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Bruno Lyra Estudo do pesquisador Ângelo Fraga Bernardino, do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), confirmou a contaminação crônica por...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!