26.6 C
Serra
segunda-feira, 06 de julho de 2020

Doenças da Modernidade e os Felinos

Leia também

Moradora faz campanha para arrecadar agasalhos para pessoas carentes na Serra

Sentir frio não é nada bom! E pensando nisso, uma moradora de Laranjeiras está fazendo uma campanha para arrecadar...

Projeto Social faz desinfecção em bairros com grande número de casos de coronavírus

Através da parceria com a empresa Jan Pro Serviços de Limpeza, o Projeto SER – Solidariedade Educação e Responsabilidade...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Em toda mudança no ambiente deve-se observar o comportamento do gato. Foto: Agência Brasil

Alguns donos de gato já devem ter ouvido falar da Cistite Interticial Felina, ou da Síndrome de Pandora, ou da Síndrome Urológica Felina. Caso não tenha ouvido falar, parabéns! Até o momento seu miau não passou por nenhum evento que pudesse traumatizá-lo ou ter causado um estresse tão grande que somatizou e levou a doença física. E para os donos que já ouviram não se culpem, gatinhos são seres difíceis mesmo de manter tranquilos.

Eventos que para nós podem ser insignificantes como trocar um sofá, a posição dos móveis, ligar um liquidificador mais barulhento ou até mesmo colocar ou tirar tapetes pode ser para alguns felinos um evento pra lá de estressante e pode até deixa-lo doente.

A melhor definição que me veio a cabeça dos gatos foi ocasionada quando estávamos tratando um com possível síndrome de pandora. “O segredo do gato saudável é fazer o que ele quer, na hora que ele quer, como ele quer”. Parece até uma piada, mas infelizmente para alguns não é. Alguns gatinhos são tão sensíveis que a menor mudança da rotina dele pode ocasionar uma doença urinária. E saber o que deixa os gatinhos estressados é quase impossível aos olhos humanos.

O importante é evitar qualquer mudança na rotina dele e ficar atento a quantidade de comida e água que ingerem e a quantidade e coloração da urina quando ocorrem mudanças no seu lar. Sempre que perceberem qualquer alteração levem-no a um médico veterinário. Alguns até prescrevem medicações tranquilizantes ou  homeopáticas.

  • Por Patricia Ribeiro de Oliveira, médica veterinária da Climev Laranjeiras
Comentários

Mais notícias

Projeto Social faz desinfecção em bairros com grande número de casos de coronavírus

Através da parceria com a empresa Jan Pro Serviços de Limpeza, o Projeto SER – Solidariedade Educação e Responsabilidade social, está realizando uma ação...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!