18 C
Serra
sexta-feira, 29 de Maio de 2020

Degradação da Juara gera colapso na criação de tilápia

Leia também

Indústria cobra e Estado diz que está liberando crédito para empresas

Nesta quinta-feira (28) a Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) divulgou carta aberta em que cobra o governo...

Queima de pneus todos os dias incomoda moradores de bairro da Serra

Na região de Feu Rosa e uma parte de Portal de Jacaraípe a reclamação é a fumaça gerada pela...

Covid-19 também provoca epidemia de desemprego na Serra

Locomotiva econômica e município de maior população do ES, a Serra é a cidade com mais demissões nesta pandemia...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O presidente da Associação de Pescadores, Deraldo Balestreiro: tilápia agora vem de Linhares. Peixaria e restaurante seguem abertos na Juara. Foto: Fábio Barcelos

Renato Ribeiro

No lugar dos peixes, lixo, esgoto e muito sal. Assim encontra-se hoje a lagoa Juara, a maior da Serra. Situação que inviabilizou a criação de tilápias em tanques-rede, projeto iniciado na década passada pela Associação de Pescadores da Lagoa Juara (APLJ) e que produzia em média 5,5 toneladas de peixe por mês.

A gota d’água para o fim da produção foi a mortandade de peixes na lagoa ocorrida em setembro de 2016. Situação que vinha ocorrendo com alguma frequência a partir de 2014. Pescadores e ambientalistas afirmam que a dragagem e alargamento do rio Jacaraípe, iniciadas justamente em 2014, aumentaram a salinidade da água, ocasionando a mortandade de peixes e até de parte das plantas aquáticas. O rio liga a lagoa ao mar.

Para o presidente do Instituto Brasileiro de Fauna e Flora (Ibraff), Claudiney Rocha, os prejuízos ambientais e econômicos são grandes. “Com as obras do Rio Jacaraípe, grande parte do manguezal, que é um filtro natural, foi destruído, aumentando a salinidade da água da lagoa. Esse fator, aliado à mudança de estrutura física do Rio e a falta de oxigênio na água, fez com que a Lagoa Juara entrasse em colapso, havendo um desastre ambiental sem precedentes”, explica.

Segundo o presidente Federação das Associações de Pescadores do Espírito Santo (Fapaes) Manuel Bueno dos Santos – o Nego da Pesca, o esgoto lançado in natura na lagoa desde a década de 70, é o maior responsável. “A lagoa encontra-se numa região urbana, cercada por bairros que não possuem rede de esgoto. O despejo ao longo dos anos vem matando a lagoa aos poucos e tudo que há nela”, avalia.

Apesar dos restaurantes e peixarias da Juara continuarem funcionando com pescado vindo de outras regiões, o impacto econômico preocupa. Segundo o Presidente da APLJ, Deraldo Balestreiro, com a transferência da produção de peixes para Linhares, os custos de produção aumentaram em 10%, e inevitavelmente esse acréscimo chegou até a mesa do consumidor.

“Desde julho de 2016, toda nossa produção foi transferida para a Lagoa do Aguiar em Linhares. Isso aumentou os nossos custos, sendo inevitável o aumento do preço para o consumidor, que agora paga R$ 11,00 por quilo da tilápia. Em contrapartida, temos a certeza de estarmos vendendo um produto de qualidade e sem riscos de contaminação”, avalia.

Prefeitura diz que apoia pescador e promete revitalizar lagoa

Através da assessoria de imprensa, a Prefeitura da Serra diz que ajuda na divulgação do pólo gastronômico da lagoa Juara, que agora funciona com tilápia vinda de fora. E que planeja um projeto de revitalização da lagoa, com a construção de decks, reforma dos pontos de vendas de pescado, paisagismo, calçamento, entre outros. Atualmente, o projeto está em fase de estudo para captação de recursos.

Disse também que a cidade contará com 100% de esgoto tratado através da Parceria Público Privada (PPP) de saneamento em vigor na cidade desde 2015. No entanto não mencionou o problema da salinização gerado pela dragagem do rio Jacaraípe, motivo apontado por ativistas e pescadores como um dos responsáveis pelo colapso na produção de tilápia.   

 

Comentários

Mais notícias

Queima de pneus todos os dias incomoda moradores de bairro da Serra

Na região de Feu Rosa e uma parte de Portal de Jacaraípe a reclamação é a fumaça gerada pela insistente queima de pneus que...

Covid-19 também provoca epidemia de desemprego na Serra

Locomotiva econômica e município de maior população do ES, a Serra é a cidade com mais demissões nesta pandemia de coronavírus. Em abril, 5.605...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!