25 C
Serra
sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Crise no setor minero-siderúrgico derruba produção industrial do ES

Leia também

Exame de vista gratuito em Laranjeiras em fevereiro

No próximo dia 1 fevereiro (sábado), será realizado em Parque Residencial Laranjeiras, o projeto ‘Olhos do Bem’, que levará...

Chuvas | Serra antecipa limpeza de bueiros e valas

Áreas de instabilidade se intensificaram sobre o mar e avançaram para o Espírito Santo espalhando nuvens carregadas sobre algumas...

Cinquenta voluntários da Serra vão ajudar na limpeza de Iconha

Muitas doações de produtos de limpeza, alimentos e roupas estão chegando ao município de Iconha, devastado por chuvas que...

Laminador na ArcelorMittal Tubarão: empresa opera com produção reduzida após rompimento de barragem da Vale. Foto: Arquivo TN/Bruno Lyra

A redução da produção de minério de ferro da Vale e de aço na ArcelorMittal Tubarão e a permanência da inatividade da Samarco há quatro anos ajudaram a derrubar a produção industrial do Espírito Santo em outubro, que recuou 8,1 % ante setembro, segundo o IBGE. A avaliação é do Diretor de Integração e Projetos Especiais do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Pablo Lira.

Dos 15 estados avaliados pelo IBGE, o ES teve o pior desempenho. Pablo destaca que o setor de minério e aço, pilar da economia capixaba e da Serra, vem sofrendo desde a paralisação da Samarco (Vale + BHP), em 2015, com o rompimento da barragem em Mariana (MG). Ele explica que a situação se agravou com o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG), ocorrida em janeiro deste ano, que reduziu a oferta de minério e impactou toda a cadeia produtiva.

“A indústria extrativa, que inclui a mineração, teve recuo de 27,6% no Espírito Santo em outubro de 2019, se comparada a outubro de 2018. No mesmo recorte, em todo o país, a queda foi de 7%”, detalha.

Pablo acrescenta que o mau desempenho da produção industrial capixaba também foi influenciado pela queda no preço do barril de petróleo – em abril, o barril custava R$ 68,58 e agora está R$ 57,27 – e, também, pelo tombo de 44% na indústria de papel e celulose no ES  entre outubro de 2019 e outubro de 2018. “Com a compra da Fibria pela Suzano, esta última passa a controlar várias unidades, que estão sendo readequadas”, avalia.

Pablo destaca, ainda, que a indústria vem reduzindo a participação no PIB capixaba e essa queda foi notada com mais força a partir de 2016, o primeiro ano completo sem a Samarco. Em 2015, a indústria representava 31% do PIB do ES. “O último dado que temos, de 2017, aponta para uma participação de 22,3% do setor industrial”, revela.

Taxa de Trump ao aço deve agravar a situação    

A ameaça do presidente norte-americano Donald Trump, feita no início de dezembro, de sobretaxar o aço brasileiro em 25% (atualmente, a alíquota é 0,9%) piora as coisas para o Espírito Santo. Principalmente para a Serra, que tem em seu território a maior produtora de aço do país, a ArcelorMittal Tubarão, a qual tem os EUA como principal destino de suas exportações.

Até a última quinta-feira (12), porém, nada havia sido oficializado ao setor, segundo a assessoria de imprensa do Instituto Aço Brasil. Em entrevista ao site UOL na semana passada, o presidente do Instituto, Marco Polo Mello, disse que a ameaça de Trump já estava afetando a amarração de novos contratos, uma vez que não se sabe em que base de preço negociar, pois não há certeza se a taxa entra ou não em vigor.

A Arcelor, que já está com a produção reduzida em função da paralisação programada do alto-forno 2 – que foi antecipada por conta da crise de fornecimento de minério da Vale este ano -, gera 11 mil empregos diretos. A siderúrgica também ativa toda uma rede de fornecedores de produtos e serviços, muitos deles na Serra. Em 2014, a receita bruta da empresa correspondia a 56,7% do PIB do município.

Para Pablo, se levada a cabo, a medida de Trump é um golpe duro ao ES. Mas ele lembra que as empresas podem buscar o mercado chinês como contraponto e que o cenário pode melhorar com a volta da Samarco no 2º semestre de 2020, ainda que com a produção reduzida.

A assessoria de imprensa da ArcelorMittal Tubarão disse que a empresa não se pronunciaria individualmente, mas apenas setorialmente através do Instituto Aço Brasil.

 

Comentários

Mais notícias

Chuvas | Serra antecipa limpeza de bueiros e valas

Áreas de instabilidade se intensificaram sobre o mar e avançaram para o Espírito Santo espalhando nuvens carregadas sobre algumas regiões do estado próximas do...

Cinquenta voluntários da Serra vão ajudar na limpeza de Iconha

Muitas doações de produtos de limpeza, alimentos e roupas estão chegando ao município de Iconha, devastado por chuvas que atingiram o sul do Espírito...

Morador pede bueiros em ruas de Portal de Jacaraípe – Confira no ‘Pronto, Flagrei’

Morador do bairro Portal de Jacaraípe, Cleiton Luiz, reclama da ausência de bueiros em diversas ruas da comunidade. Segundo ele, basta chover um pouco mais...

Pague 26 e leve 23 | Confira a coluna Nó da Gravata desta sexta (24)

Pague 26 e leve 23 Após os vereadores de oposição colocarem o ‘pé na porta’ contra a posse do suplente de vereador Fábio Latino (PSB),...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem