27.7 C
Serra
domingo, 29 de março de 2020

Córregos e lagoa que recebem esgoto estão bons para banho, diz Prefeitura

Leia também

“Meu Título de Eleitor permanece em Vitória”, diz Amaro Neto, que vinha sendo cotado para a Prefeitura da Serra

Uma suposta consulta do deputado federal Amaro Neto (Republicanos) ao Cartório Eleitoral da Serra causou alvoroço no mercado politico...

ArcelorMittal vai parar mais um alto-forno em Tubarão

Maior indústria instalada na Serra e 3ª maior planta produtora de aço do Brasil, a ArcelorMittal Tubarão anunciou que...

Espírito Santo tem 7 novos casos de Covid-19

O Espírito  Santo tem sete novos casos do novo coronavirus, segundo da informação divulgada pelo governador Renato Casagrande no...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Banhistas, incluindo várias crianças, tomavam banho no córrego Laranjeiras na última terça (14). No detalhe, placa indicando que a lagoa de Carapebus também estaria apta para banho. Foto: Bruno Lyra

Dois córregos e uma lagoa que recebem esgoto e deságuam nas praias da Serra estão próprios para banho, segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma). A afirmação foi feita na tarde de ontem (16) em formato de nota, após a reportagem questionar a existência de placas indicando que esses cursos d’àgua – notoriamente pontos de descarte de esgoto tratados ou não – estão aptos ao banho.

Um desses pontos é a lagoa Carapebus. O fato de estar na Área de Proteção Ambiental (Apa) Estadual de Praia Mole não garantiu que o manancial ficasse livre da sujeira.  Pelo contrário, nos últimos anos se agravou o lançamento de esgoto doméstico no manancial. Na última terça-feira (15), a reportagem foi à lagoa e viu diversos banhistas nela.

O outro é o córrego Guaxindiba (Laranjeiras),que deságua entre as praias de Bicanga e Manguinhos. Esse tem a situação ainda mais grave, uma vez que recebe esgoto tratado e não tratado de bairros como Laranjeiras, São Diogo, Jardim Limoeiro, Novo Horizonte e Cidade Continental. Na sua bacia há, também, os hospitais Jayme Santos, Dório Silva, além de oficinas e empresas que mexem com equipamentos pesados.

Na lagoa do Baú, também poluída por esgoto e com presença de placa dizendo que a balneabilidade é adequada, adulto e criança se banhavam na última terça feira(15). Foto: Bruno Lyra

Também na terça (16), havia várias pessoas – muitas crianças, inclusive – tomando banho no riacho junto à praia.  “Viemos na inocência. Tem aparência (o córrego) bacana, água morninha. Pensei que era uma boa para as crianças, porque é mais tranquilo que o mar. A gente não sabia que tinha esgoto, pois tem uma placa dizendo que é bom para banho. É uma pena, não vou entrar novamente com meus filhos”, disse Mário Alves, que é morador de Itapuã, em Vila Velha, e veio passear nas praias da Serra.

Vander Rodrigues, de Campo Grande, Cariacica, ficou decepcionado e preocupado ao saber da poluição. “A gente procura um lugar bonito como esse, em Bicanga, que tem até boa estrutura de quiosque, e fica sabendo disso. É vergonhoso que isso aconteça em pleno século XXI, ainda mais com as pessoas pagando alto pela tarifa de esgoto”, avalia.

Em fevereiro do ano passado, um grupo de 20 pessoas passou mal e foi atendido na Upa de Serra Sede após passar o dia tomando banho no local. Na época, a Prefeitura da Serra chegou a interditar o trecho para banho.

Outro local que o Município disse, na última quinta-feira (16), estar apto para banho é a foz do córrego Maringá, que fica à esquerda da praça de Manguinhos. O riacho é formado pela lagoa de mesmo nome, localizada às margens da rodovia ES-010, e que ficou conhecida por conta da vegetação que toma conta do espelho d’água periodicamente por conta do excesso de poluição.

Secretaria diz que análises são feitas semanalmente

Segundo a Semma, as análises nos mananciais citados são feitas semanalmente por meio da coleta de amostras de água nos pontos e análise laboratorial para a avaliação do indicador de coliformes termotolerantes, também chamados de coliformes fecais.

Trata-se de bactérias encontradas no intestino de humanos e outros animais e que vão parar nos cursos d’água, principalmente por conta do lançamento de esgoto no caso de áreas urbanas contendo grande quantidade de fezes de pessoas.

A gestão do esgoto da Serra é responsabilidade da Cesan, que desde janeiro de 2015 faz o serviço por meio de uma parceria público-privada (PPP) com a Ambiental Serra.

Comentários

Mais notícias

ArcelorMittal vai parar mais um alto-forno em Tubarão

Maior indústria instalada na Serra e 3ª maior planta produtora de aço do Brasil, a ArcelorMittal Tubarão anunciou que vai paralisar o Alto-Forno 03....

Espírito Santo tem 7 novos casos de Covid-19

O Espírito  Santo tem sete novos casos do novo coronavirus, segundo da informação divulgada pelo governador Renato Casagrande no final da tarde deste sábado...

Indústria faz campanha para consumidor priorizar produto capixaba

A Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) lançou esta semana campanha para que o consumidor capixaba compre produtos produzidos no Estado. A campanha diz...

Mais de 43 mil moradores já se vacinaram contra gripe na Serra

Durante a primeira semana da Campanha de Vacinação contra gripe para os grupos prioritários, a Serra já imunizou mais de 43 mil moradores. De...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem