22.3 C
Serra
segunda-feira, 03 de agosto de 2020

Caixa Econômica facilitará a compra e financiamento de imóveis

Leia também

Opinião: Mulheres na política em busca de representatividade

ARTIGO DE OPINIÃO DE AUTORIA DE ALEXSANDRA VERTUANI A luta pelos direitos das mulheres vem progredindo não só no Brasil,...

Bruno Lamas afasta dúvidas e garante que vai disputar a Prefeitura da Serra

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB) garantiu que a sua decisão de disputar a Prefeitura da Serra no próximo...

Vale promove testagem em massa no Pará, porque não fazer na Grande Vitória também?

Uma ação da Vale realizada na cidade de Parauapebas, no sudeste do Pará, está entre as iniciativas sociais mais...
Cristiane Puppimhttps://www.portaltemponovo.com.br
A autora é advogada especialista em Direito Civil, com ênfase em direito imobiliário e condominial.

A Caixa Econômica Federal, a maior financiadora imobiliária do Brasil em termos absolutos, o que corresponde a aproximadamente 70% do mercado imobiliário, anunciou na última quinta-feira, dia 02 de julho de 2020, que passará a incluir no financiamento imobiliário os custos com o ITBI (Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis), que é um imposto municipal, e custos com escrituras e certidões.

Outros bancos, como o Bradesco e o Itaú, por exemplo, já ofereciam esta facilidade, porém, sendo a Caixa Econômica a maior financiadora imobiliária, principalmente através do programa Minha Casa Minha Vida, que atende a parcela mais vulnerável da sociedade, esta notícia causa grande repercussão no setor.

A medida acaba aumentando o valor do financiamento, mas reduz o valor que o comprador precisa ter em mãos para comprar o imóvel, facilitando e tornando mais acessível o financiamento imobiliário.

Antes, quem quisesse financiar um imóvel pela Caixa Econômica deveria ter em mãos um valor de entrada entre 20% a 30% do valor total do imóvel, além de pagar os custos com escritura e certidões, mais o ITBI, que gira em torno dos 3% a 5% do valor do imóvel.

Com a nova política de financiamento, os novos mutuários só precisarão arcar com o valor de entrada, podendo diluir no financiamento os valores com ITBI e demais custos cartorários.

Além disso, A Caixa apresentou a possibilidade de registro eletrônico de imóveis, que vai evitar que o futuro mutuário precise levar a documentação pessoalmente ao cartório. O sistema do Banco foi integrado aos cartórios de 14 estados, e tem previsão de início a partir de 13 de julho de 2020.

Comentários

Cristiane Puppimhttps://www.portaltemponovo.com.br
A autora é advogada especialista em Direito Civil, com ênfase em direito imobiliário e condominial.

Mais notícias

Bruno Lamas afasta dúvidas e garante que vai disputar a Prefeitura da Serra

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB) garantiu que a sua decisão de disputar a Prefeitura da Serra no próximo dia 15 de novembro não...

Vale promove testagem em massa no Pará, porque não fazer na Grande Vitória também?

Uma ação da Vale realizada na cidade de Parauapebas, no sudeste do Pará, está entre as iniciativas sociais mais bem sucedidas na luta contra...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!