29.8 C
Serra
quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Cair no bafômetro não sai por menos de R$ 3,2 mil

Leia também

Atraso de entrega de imóvel gera direito a indenização

O ano 2018 marcou o fim de um ciclo de 5 anos de retração econômica, de acordo com a ...

Desastre ambiental iminente no Atlântico envolve de novo a Vale

Co-responsável pelo derramamento de rejeitos no rio Doce e no mar com o rompimento da barragem da Samarco (Vale...

O suplente Fábio Latino assumirá em definitivo a vaga de Cabo Porto na Câmara

Com a morte do vereador Cabo Porto, o suplente, Fábio Latino (PSB), deverá assumir a vaga. Latino conversou com...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Dependendo da quantidade de álcool o motorista pode ser preso e ter que arcar com a fiança, o que multiplica os gastos de quem cai no bafômetro. Foto: Agência Brasil

Clarice Poltronieri

Ser pego dirigindo pela blitz do bafômetro após beber custa cada vez mais caro. Na melhor das hipóteses, sai por R$ 3,2 mil. Só a multa custa R$ 2,9mil e o motorista ainda fica um ano sem dirigir e precisa fazer um curso de reciclagem que custa em média R$ 300.

Jorge*, de Laranjeiras, depois de beber caiu numa blitz que aconteceu no próprio bairro. Ele conta que já gastou R$3,4mil. Isso sem contabilizar os custos do transporte para a autoescola, onde iniciará as aulas de reciclagem. “Paguei a multa (R$2,9mil) e o curso de reciclagem com as taxas do Detran (R$500). Fora o gasto com deslocamento. E se tiver alguma outra multa no veículo, você tem que pagar também para poder pegar a carteira de novo”, lembra.

No caso do motorista Paulo*, de Morada de Laranjeiras, o prejuízo pode chegar a R$6,4mil. Isso porque ele foi pego dirigindo alcoolizado três vezes. O detalhe é que isto aconteceu antes do reajuste da multa, que em novembro de 2016 subiu de R$ 1,9 mil para R$ 2,9 mil.

“Recebi três multas de R$1,9 mil, mas até agora só paguei uma. Só de multa o prejuízo foi de foi R$5,7 mil. Uma vez um amigo buscou o carro e nas outras duas foram taxistas que me cobraram R$30 e R$70. A carteira foi apreendida e eu pude buscar no Detran, em Vitória, depois de cinco dias úteis. E as duas últimas situações foi com 15 dias de diferença. Não perdi a carteira, mas se tiver que fazer curso de reciclagem, vão mais uns R$500”, relata.

O proprietário da Autoescola Volante, Roberto Catirica, explica o que acontece com quem é pego no bafômetro. “A infração é gravíssima, com suspensão imediata da carteira por um ano e multa de R$2,9 mil. Após esse período tem que fazer o curso de reciclagem, que custa R$300, fora as taxas do Detran. E o motorista pode responder por crime, pois há dolo. Cerca de 40% dos alunos do curso de reciclagem que nos procuram é por terem caído no bafômetro”, explica.

Para o instrutor de autoescola Cláudio Gabrielle, o número de motoristas pegos sob efeito de álcool vem reduzindo e a maioria é homem. “Reduziu tanto pelo valor da multa, quanto pelas alternativas, como Uber e afins. A multa é bem alta e se for reincidente, dobra o valor. E dependendo do teor alcoólico o motorista pode ser preso. Na autoescola, cerca de 80% são homens”, lembra.

Além das sanções previstas, dependendo do nível alcoólico o motorista ainda pode ser preso e ter que pagar fiança. Aí a conta acaba ficando mais salgada.

* Nomes fictícios dos personagens, que pediram para não ter a identidade revelada.  

Bafômetro a distância já está em uso no ES

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) já está usando nas rodovias 25 aparelhos que detectam a presença do álcool dentro do carro – o etilômetro, sem a necessidade de soprar. O aparelho é aproximado do carro e se acender a luz vermelha, indica teor etílico no local. Se houver passageiros no carro, o motorista é convidado a fazer o bafômetro. As informações são da assessoria de imprensa da PRF.

Comentários

Mais notícias

Desastre ambiental iminente no Atlântico envolve de novo a Vale

Co-responsável pelo derramamento de rejeitos no rio Doce e no mar com o rompimento da barragem da Samarco (Vale + BHP Billiton) em 2015...

O suplente Fábio Latino assumirá em definitivo a vaga de Cabo Porto na Câmara

Com a morte do vereador Cabo Porto, o suplente, Fábio Latino (PSB), deverá assumir a vaga. Latino conversou com a reportagem nesta quarta-feira (26)....

Nome do vereador Cabo Porto deverá ser eternizado na Arena Riviera em Jacaraípe

Jucélio Nascimento Porto, popularmente conhecido como Cabo Porto (PSB), que morreu no último sábado (22) em decorrência de um acidente de trânsito, poderá ter...

Homicídios disparam e Serra volta a ser a cidade onde mais se mata no ES

Após seis meses fora do topo do ranking das cidades onde mais pessoas perderam a vida para a violência, a Serra voltou a liderar...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem