Audifax denuncia “organizações para realização de boca de urna” na Serra | Portal Tempo Novo

Serra, 10 de dezembro de 2018

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Política

Serra, 2 de outubro de 2018 às 13:47

Audifax denuncia “organizações para realização de boca de urna” na Serra

No texto, não são citados nomes e nem do que se trataria a suposta organização. Entretanto, o documento relata que Audifax, durante a eleição de 2016, teria sofrido “violência, intolerância e deslealdade por alguns candidatos da Serra” e esse seria o motivo para reforçar o policiamento no município.


Audifax vai pedir mais policiamento na Serra para a eleição do próximo domingo (07). Foto Jansen Lube

Nesta terça-feira (02), o prefeito da Serra Audifax Barcelos (Rede) e o procurador geral, Vitor Silvares, devem participar de uma reunião no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O objetivo é reforçar um pedido de fiscalização para as eleições deste ano. A informação da Secretaria de Comunicação da Serra é de que Audifax estaria preocupado com “organizações para realização de boca de urna”.

No texto, não sāo citados nomes e nem do que se trataria a suposta organização. Entretanto o documento relata que Audifax, durante a eleição de 2016, teria sofrido “violência, intolerância e deslealdade por alguns candidatos da Serra” e esse seria o motivo para reforçar o policiamento no município. Naquela eleição, Audifax e o ex-prefeito Sérgio Vidigal (PDT), atual deputado federal, protagonizaram uma disputa  acirrada e com várias acusações mútuas.

Segundo a nota, Audifax afirma que “não é justo que candidatos ficha limpa sejam punidos pelos ficha suja”. O texto afirma ainda que na semana passada, a prefeitura protocolou um pedido de reforço policial e fiscalização para o primeiro turno das eleições. A necessidade de reforçar tal pedido, segundo o prefeito, seria após a “constatação de, nas eleições para prefeito e vereador que aconteceram em 2016, foram verificadas práticas ilícitas de manifestação e distribuição de bens que influenciaram no voto dos eleitores”, o pode se caracterizar como compra de votos, que é crime eleitoral. E segue afirmando que neste ano, já teriam sido “identificadas organizações para realização de boca de urna”, o que é crime.

 “É injusto. Eu passei por isso em várias eleições e quero garantir que outros candidatos não sejam punidos por aqueles que desejam jogar sujo”, afirma Audifax.

A reportagem demandou a Secom para detalhar a denúncia, assim que for respondido será atualizado aqui.

 




O que você acha ?

Você concorda com a saída de Cuba do Mais Médicos?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por