Serra, 20 de agosto de 2018

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Meio Ambiente

Serra, 30 de novembro de 2016 às 11:47

Audiência Pública vai debater metais pesados em peixes e mariscos do ES com lama da Samarco


 

A lama se espalhou pelo litoral do ES e chegou, com menor intensidade, às águas da Bahia e Rio de Janeiro. Foto: Divulgação / Agência Brasil

A lama se espalhou pelo litoral do ES e chegou, com menor intensidade, às águas da Bahia e Rio de Janeiro. Foto: Divulgação / Agência Brasil

Nesta quarta – feira (30), às 14h, a Assembléia Legislativa do ES vai realizar Audiência Pública para debater a contaminação por metais pesados na água, em peixes e outros mariscos do litoral capixaba – incluindo a foz do rio Doce – pela lama da Samarco (Vale + BHP Billiton) e implicações disso na saúde da população capixaba.

A Audiência foi pedida pelo deputado Hércules da Silveira (PMDB), que acatou solicitação da ONG Espírito Santo SOS Ambiental,  e contará com a participação do professor e pesquisador da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Adalto Bianchi.

Além de comandar o laboratório de toxologia da FURG, Adalto é especialista em Fisiologia Animal Comparada, Toxologia e Interação entre Organismos Marinhos e Parâmetros Ambientais.  Ele também integra o corpo de pesquisadores das instituições mobilizadas para monitorar e avaliar os impactos do rompimento das barragens de rejeito da extração de minério de ferro da Samarco em Mariana, MG, em 05 de novembro do ano passado.

Apesar do desastre/crime ambiental ter acontecido há mais de um ano, não há nem previsão de quando os impactos deixarão de afetar severamente o rio Doce e o litoral capixaba, onde este deságua no município de Linhares. É que a lama continua descendo, principalmente agora com o período de chuva, onde o rio Doce fica mais cheio e com maior capacidade para arrastar os milhões de metros cúbicos de rejeitos que ainda estão nas margens e no leito do rio.   

Em março de 2016, Adalto concedeu entrevista exclusiva ao jornal Tempo Novo, logo após participar da coleta de amostras feita pelo navio da Marinha do Brasil na região.  Na ocasião ele revelou que amostras de peixes e camarões coletados no mar nas proximidades da foz do rio Doce após a chegada da lama apresentaram presença de metais pesados como cádmio, chumbo e arsênio com índice até 140 vezes maior do que permitido por lei.

A Audiência será no Plenário Dirceu Cardoso. A Comissão de Saúde da Assembleia – da qual o deputado Hércules é integrante – pede que os interessados em participar confirmem o nome pelos tels 3282 – 3869 / 3282 – 3965 ou pelo e-mail  [email protected] .




O que você acha ?

Os novos investimentos ambientais anunciados por Vale e Arcelor vão reduzir o pó preto?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por