25.7 C
Serra
terça-feira, 30 novembro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Ativista denuncia retirada criminosa de orquídeas do Mestre Álvaro e teme extinção de espécie

Leia também

Direitos Humanos | Serra vai ter mutirão para retificação de gênero e de nomes de pessoas trans

No dia 10 de dezembro se comemora o Dia Internacional dos Direitos Humanos.  E na Serra vai ter uma...

Prefeitura vai reforçar iluminação em bairros da Serra com extensões de rede

A Prefeitura da Serra, através da Secretaria de Serviços (Sese), anunciou que sete bairros da Serra vão ganhar reforço...

ES terá audiências públicas para mostrar diagnóstico de ações para reduzir riscos de inundações

Ao longo dos meses de dezembro deste ano e janeiro de 2022, o Governo do Estado, discutirá a macrodrenagem...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Ativista denuncia a retirada criminosa de plantas como orquídeas da montanha. Foto: Divulgação

O Mestre Álvaro é um celeiro de milhares de espécies de plantas e animais silvestres nos seus 833 metros de altitude. Por este motivo, é alvo constante de criminosos que caçam na montanha e que retiram de forma ilegal plantas da floresta, como tem acontecido com orquídeas.

Ativista ambiental, Claudiney Rocha, do Instituto Ibraff – Instituto Brasileiro de Fauna e Flora, que é morador de Jacaraípe, está preocupado com o problema e teme a extinção da espécie.

“O Mestre Álvaro é considerado uma das maiores elevações litorâneas da costa brasileira e abriga uma das últimas áreas de Mata Atlântica de altitude do Espírito Santo. É uma Área de Proteção Ambiental, que possui diversas atividades de turismo de aventura, como trilhas que quando chegam ao topo, conseguem ter uma visão panorâmica do oceano Atlântico e da Grande Vitória. Infelizmente vem sofrendo diversos ataques de destruição ambiental, principalmente caça e retirada de plantas, como as orquídeas. Já fizemos algumas denúncias sobre o assunto, mas nada foi feito”, denuncia Rocha.

Claudiney disse que recebeu no último dia 6 de novembro, fotos onde é possível constatar dezenas de pequenas mudinhas de orquídeas. “Elas foram retiradas do Mestre Álvaro, segundo consegui apurar. Uma atividade criminosa, que pode levar espécies talvez desconhecidas à extinção. Esperamos que as autoridades tomem providências com relação a isso”, cobra o ambientalista.

O Tempo Novo procurou a Prefeitura da Serra que disse que a Fiscalização Ambiental da Serra vai investigar o caso e fazer uma visita a região para apurar a denúncia.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!