20.7 C
Serra
quarta-feira, 22 setembro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Assassino de Gerson Camata é condenado a 28 anos de prisão

Leia também

Império de Fátima lança em outubro samba enredo oficial e rainha com samba e muita cerveja

No próximo dia 3 de outubro a escola de samba Império de Fátima vai promover um evento para coroar...

Vendaval destrói poste e deixa bairro da Serra sem energia elétrica

O vendaval da noite desta terça-feira (21) está deixando estragos em alguns bairros da Serra. Em Vila Nova de Colares,...

Calorão na Serra dá lugar a chuva e ventos de até 40 km/h nessa quarta-feira

No dia em que marca a passagem para a Primavera no Hemisfério Sul, o avanço de um sistema frontal...
Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

 

Marcos Venício foi condenado a 28 anos de prisão. Foto: Divulgação

Assassino confesso do ex-governador Gerson Camara, Marcos Venício Moreira Andrade foi condenado a 28 anos de prisão. O resultado do julgamento foi anunciado nesta quarta-feira (4), e Venício recebeu a acusação de homicídio duplamente qualificado e de porte ilegal de arma. Além da prisão, o réu será obrigado a pagar uma indenização no valor de R$ 200 mil para a família da vítima. O júri teve início na terça-feira (3/08) no Fórum Criminal José Mathias de Almeida Netto, no Centro de Vitória.

Gerson Camata foi assassinado com um tiro no peito no dia 26 de dezembro de 2018, na Praia do Canto, em Vitória. Marcos Venicio, que foi assessor de Camata durante 19 anos, foi preso no mesmo dia e confessou o crime. O motivo alegado pelo assassino teria sido a cobrança de uma dívida judicial por parte do ex-governador.

Histórico:

Marcos Venicio é economista e era o responsável pelas finanças e pelas campanhas políticas de Camata entre os anos de 1986 e 2005. Em 2009, fez denúncias contra o ex-governador em entrevista ao jornal “O Globo”, acusando Camata de cometer supostas irregularidades, como o envio de notas fiscais frias e ter cobrado mensalidade de empreiteiras para votar projetos que fossem de interesse das empresas. Essas denúncias foram arquivadas por falta de provas.

Em razão disso, Camata ajuizou uma ação indenizatória por danos morais, que bloqueou R$ 60 mil das contas de Marcos Venicio. O ex-assessor chegou a recorrer da decisão e a multa foi reduzida para R$ 20 mil. Com o passar dos anos e com os juros cobrados, o valor triplicou, alcançando a quantia de R$ 60 mil. Em 2018, a Justiça bloqueou as contas de Marcos Venício para o pagamento da indenização.

Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!