24.1 C
Serra
quarta-feira, 05 de agosto de 2020

Aprovado projeto que pode reduzir em até R$ 100 a conta de luz

Leia também

Ao custo de R$ 40 milhões, construção da nova Rotatória do Ó é iniciada na Serra

Com um investimento de R$ 40 milhões, a construção da nova Rotatória do Ó foi iniciada nessa semana em...

Desenhar tem sido fuga para menino autista de 13 anos superar pandemia da Covid-19

A arte tem sido a fuga de um menino portador de autismo que mora na Serra para enfrentar a...

Após 14 meses, Ceturb segue sem prazo para consertar “teto” escorado no Terminal de Carapina

Já se passaram 14 meses que a Ceturb instalou uma estrutura de andaime para escorar uma viga do teto...
Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

A proposição foi uma iniciativa do deputado estadual Vandinho Leite que convocou o vereador, Gilmar Dadalto (Raposão) para protocolar o PL na Casa de Leis. Foto: Ales / Gabriel Almeida

Na sessão da última segunda-feira (10), a Câmara da Serra aprovou o Projeto de Lei (PL) 93/2019, que reduz em até 3,5 vezes o valor da Contribuição Iluminação Pública (CIP), popularmente conhecida como taxa de iluminação pública. Esse tributo municipal é mensalmente embutido na conta de luz da EDP e o valor de redução pode chegar a até R$ 100 para quem consume acima de 500 kw/h.

Agora, a próxima etapa é aguardar um posicionamento do prefeito Audifax Barcelos (Rede), que pode sancionar e tornar lei o projeto, ou vetá-lo; neste caso, o PL retornaria à Câmara para apreciação do veto.

Se a matéria for sancionada, as novas alíquotas serão aplicadas a partir de janeiro de 2020. Quem explica é o deputado estadual Vandinho Leite (PSDB), proponente da iniciativa e responsável por encaminhar a minuta de lei ao vereador Gilmar Dadalto (Raposão), que protocolou o PL na Câmara.

Na prática, o projeto altera as alíquotas da taxa de iluminação pública contidas na Lei nº 3833/2011, instituída no mandato do ex-prefeito Sérgio Vidigal (PDT). O valor de referência foi espelhado na alíquota praticada em Vitória, que é até 3,5 vezes menor. “Chegou-se à conclusão de que é extorsivo o valor pago pelo morador serrano em comparação com Vitória”, justifica Raposão.

Após a votação do projeto, que aconteceu em sessão realizada na tarde da última segunda-feira (10), Vandinho comemorou a aprovação e faz um apelo para que Audifax não vete a proposta.

“Faço um apelo ao prefeito: ‘Audifax, não vete essa matéria. Vamos acabar com essa vergonha que é a taxa de iluminação pública da Serra. Para se ter ideia da economia, o valor da conta de luz pode baixar até R$ 5 para quem tem um consumo pequeno de 30 kw/h; entretanto, quem consome muito – até 500 kw/h -, o valor abatido no mês pode chegar a até R$ 100. São cálculos a que minha assessoria jurídica chegou; mas a legislação é muito complexa. Portanto, é uma estimativa”, afirma.

A reportagem procurou a Prefeitura, que, em nota, informou que o projeto será avaliado, referindo-se à redução na tarifa de iluminação pública. Já a EDP, na semana passada, confirmou que a responsabilidade pelo valor cobrado é municipal e disse que “só repassa o recurso ao município”. Em 2019, está prevista uma arrecadação de aproximadamente R$ 50 milhões oriundos da taxa de iluminação.

Dos 23 vereadores, apenas cinco votaram contra a proposta. Entre eles, Guto Lorenzoni (Rede), que justificativa afirmando que foi votado sem o conhecimento de alguns parlamentares e que não teve a “oportunidade” de acrescentar uma emenda que dê “isenção a pessoas de baixa renda”.

Comentários

Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

Mais notícias

Desenhar tem sido fuga para menino autista de 13 anos superar pandemia da Covid-19

A arte tem sido a fuga de um menino portador de autismo que mora na Serra para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. Guilherme...

Após 14 meses, Ceturb segue sem prazo para consertar “teto” escorado no Terminal de Carapina

Já se passaram 14 meses que a Ceturb instalou uma estrutura de andaime para escorar uma viga do teto do Terminal de Carapina, na...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!