Após matérias sobre péssimas condições de esgoto na Serra, Cesan se cala e não responde jornal

0
Após matérias sobre péssimas condições de esgoto na Serra, Cesan se cala e não responde jornal
Peixes mortos na lagoa Juara em setembro de 2016: entre as causas está a poluição. Foto: Arquivo TN

O TEMPO NOVO vem sendo sistematicamente procurado por moradores da Serra que denunciam graves problemas ligados ao saneamento básico do município. Desde lançamento de esgoto in natura em balneários, descarte clandestino de esgoto nas redes pluviais e falta de investimento em estações de tratamento, entre outros.

A insatisfação é ainda mais crescente devido à cobrança continuada da taxa de esgoto, que encarece a conta de água em até 80%. Desde 2015, a Cesan firmou parceria público-privada com a empresa Ambiental Serra, que já recebeu R$ 250 milhões de dinheiro público. No entanto, os mananciais da Serra seguem poluídos e, para agravar, a empresa é campeã de multas por poluição ambiental.

De acordo com a Prefeitura da Serra, já foram aplicadas 51 multas, que totalizam R$ 4,5 milhões. O assunto é de tamanha gravidade que está mobilizando lideranças populares e políticas, que acusam a empresa de lesar o consumidor ao cobrar por um serviço que, efetivamente, não vem demonstrando resultados.

O TEMPO NOVO seguirá na cobertura; no entanto, lamenta que a Cesan – responsável formal pelo contrato de esgoto na Serra – não esteja respondendo as demandas solicitadas pelo jornal, cujo intuito é trazer a informação mais precisa e atender os anseios do consumidor da cidade.

A redação do jornal tem buscado a Cesan por meios telefônicos e de e-mail, mas lamentavelmente tem sido sumariamente ignorada, fato que contribuiu ainda mais para questionar qual é a verdadeira relação entre a Cesan e a Ambiental Serra, da qual deveria ser fiscalizada.

A Cesan é um patrimônio do Espírito Santo, uma empresa pública; portanto, pertence à população e aos contribuintes e precisa ser transparente, especialmente com a imprensa, que é parte viva de uma sociedade democrática.

O TEMPO NOVO, desde seu nascedouro, nos idos de 1983, tem histórico de amplas coberturas da área ambiental, que é uma condição existencial para a vida. O jornal seguirá cumprindo com o seu papel, especialmente quando órgãos de fiscalização e controle faltam com transparência e se refutam a trazer a público informações pertinentes a seu trabalho e desempenho.

Comentários