24.6 C
Serra
sexta-feira, 05 de junho de 2020

Animais de grande porte em perímetros urbanos do Estado com os dias contados

Leia também

Está na Câmara projeto que cria auxílio emergencial de R$ 400 para moradores da Serra

O município da Serra poderá ter seu próprio auxílio emergencial destinado aos moradores financeiramente mais afetados pela crise decorrente...

Prefeitura diz que nascente ressurgiu após reflorestamento no Parque da Cidade

Três olhos d’água que abastecem o curso do córrego Laranjeiras brotaram no Parque da Cidade após anos de trabalho...

Obrigado, ambientalistas serranos

Num momento em que as políticas de proteção ao meio ambiente sofrem pesado revés no Brasil, fica ainda mais...
Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

Modelo cavalo de lata é utilizado em diversos estados brasileiros.; Foto: Divulgação
Modelo cavalo de lata é utilizado em diversos estados brasileiros.; Foto: Divulgação

Tramita na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei que proíbe a permanência e utilização de animais de grande porte dentro de perímetros urbanos do Estado. O projeto se aplica aos municípios capixabas com mais de 50 mil habitantes e prevê a remoção, acolhimento e destinação dos animais irregulares, com multas para os seus proprietários, no caso de resgates. A regra não se aplica, porém, a animais de grande porte utilizados pelas forças de segurança pública.

O projeto é de autoria da deputada Janete de Sá (PMN), que propõe ainda a substituição das carroças movidas por cavalos por veículos de propulsão humana ou motorizados, as carroças de lata, já utilizadas em outros estados.

Com isso, segundo a deputada, a subsistência das famílias estaria garantida e os animais não seriam sacrificados por horas sem comer, beber ou descansar.

Segundo a proposta, os animais recolhidos poderão ser resgatados pelos proprietários e ser doados para instituições de proteção animal. Podem ainda ser submetidos à eutanásia, quando apresentarem estado de saúde irrecuperável, sejam portadores de moléstias determinantes de eliminação e outras. Em qualquer caso, o procedimento só poderá ser feito por um veterinário.

Comentários

Mais notícias

Prefeitura diz que nascente ressurgiu após reflorestamento no Parque da Cidade

Três olhos d’água que abastecem o curso do córrego Laranjeiras brotaram no Parque da Cidade após anos de trabalho de reflorestamento no local. A...

Obrigado, ambientalistas serranos

Num momento em que as políticas de proteção ao meio ambiente sofrem pesado revés no Brasil, fica ainda mais evidente a importância dos ativistas...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!