• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 50.690 casos
  • 967 mortes
  • 48.401 curados
25 C
Serra
terça-feira, 13 abril - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 50.690 casos
  • 967 mortes
  • 48.401 curados

Amando que nem cão e gato

Leia também

CPI dos Maus-Tratos irá ouvir homem suspeito de golpear cadela com facão na Serra

O homem suspeito de dar golpes de facão na cabeça de uma cadela na Serra será ouvido pela CPI...

Em apenas 24 horas, Serra perde mais 11 moradores para o coronavírus e atinge 967 óbitos

Um dado estarrecedor do pico da pandemia causada pelo coronavírus – em maio de 2020– voltou a assombrar os...

Serra começa a vacinar policiais e guardas municipais contra o coronavírus nesta quarta

A Prefeitura da Serra, através da Secretaria de Saúde da Serra (Sesa), iniciará a vacinação dos trabalhadores da força...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Bolinhas de pelos alegres, fofinhas e cheias de vida, grandes ou pequenas estão mudando a vida de pessoas que abriram as portas do coração para um bichinho de estimação.

Este é o caso de Jack Sodré, morador de Jardim Limoeiro. Ele morava sozinho e preencheu os espaços vagos em sua vida com seus dois filhos: Yuri, um pug de um ano e cinco meses e Sophia, uma gatinha de três meses, recém-adotada pelo assistente administrativo.

Segundo Jack a experiência está sendo fantástica e ele indica. “Aprender a lidar com duas espécies diferentes no mesmo ambiente é uma lição de vida”, conta.

A decisão de levar uma gatinha para o apartamento surgiu por conta da solidão de Yuri.

“Antes da Sophia aparecer meu cão andava muito triste, consequentemente eu tinha que separar muito tempo para dar atenção a ele. Logo, a Sophia faria companhia pra ele e diminuiria minha preocupação”.

A ida da gatinha adotada mudou toda a rotina da família. “Hoje chego do trabalho e vejo os dois exaustos de tanto brincar pela casa. A única preocupação que eu tenho é medo do estado que eles deixam o apartamento (bagunçam tudo) e é muito bom”.

Para Jack os animais tem o dom de ensinar o ser humano a ser melhor, a olhar com mais cuidado os milhares de seres vivos que os rodeiam. “Com eles aprendemos a ter amor ao próximo. O simples fato de saber que tem alguém em casa sempre te esperando cheio de amor, já é o bastante. A vinda de Sophia também serve para mostrar que a convivência entre cães e gatos não dar certo é mito. Prova disso, é o apego que existe entre os dois. Sophia é extremamente carinhosa e carente, adora ficar agarrada e possui uma energia para brincar inexplicável. Ao contrário da Sophia, o Yuri fica meio arisco, pois se dependesse dele, ele dormiria o dia todo, uma duplinha perfeita”.

As fotos são do arquivo pessoal de Jack.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!