• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados
25.4 C
Serra
quinta-feira, 13 maio - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados

Você sabia que Adolescentes também podem sofrer com varizes

Leia também

Com investimento de mais de R$ 2 milhões, Fapes abre inscrições para bolsistas

Um investimento de R$ 2,1 milhões será destinado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo...

Efeitos da vacina? Jacaré tenta curtir uma praia, mas causa alvoroço em balneário da Serra

Procurada por quem gosta de belezas naturais e bastante tranquilidade, a Praia de Carapebus teve uma manhã agitada por...
Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

O cirurgião vascular Andre Campana alerta que quando a mãe tem muitas varizes, por exemplo, a filha adolescente, principalmente após a primeira menstruação, pode começar a identificar o aparecimento delas também. Foto: Divulgação

As varizes, aquelas veias defeituosas que acabam causando inchaço, dor e incômodo estético, costumam surgir entre os 20 e os 50 anos de idade, mas podem afetar também adolescentes.

Isso acontece principalmente devido à herança genética, ou seja, o histórico na família.

“Quando a mãe tem muitas varizes, por exemplo, a filha adolescente, principalmente após a primeira menstruação, pode começar a identificar o aparecimento delas também. O uso precoce de anticoncepcionais ajuda a agravar o problema”, explicou o cirurgião vascular Andre Campana.

Buscar tratamento é, nessa fase da vida, uma questão que está mais relacionada à estética. “Geralmente, varizes em adolescentes não são graves ao ponto de demandar tratamento para aliviar dor, por exemplo. O que determina a necessidade de tratar é o impacto dessas varizes na autoestima da adolescente. Se estiver havendo prejuízo para o convívio em sociedade, é sinal de que é preciso tratar”, comentou o cirurgião.

A boa notícia é que, atualmente, o tratamento de varizes está muito mais simples, com procedimentos menos invasivos.

“É importante destacar que não existe cosmético nem aparelho nenhum para usar em casa que trata varizes. O tratamento deve ser feito por médico especialista nisso. Hoje, existem técnicas que não demandam corte nem repouso. Um exemplo é o endolaser, que consiste em queimar a veia defeituosa com o uso de uma fibra óptica, sem dor e com o mínimo de trauma cirúrgico”, garantiu Andre Campana.

Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!