Wanildo é o suplente de Nacib Haddad. Foto: Divulgação

Em nova reviravolta na Câmara da Serra, a Justiça determinou o retorno do vereador suplente, Wanildo Sarnaglia (Avante) para o cargo. A decisão assinada pelo desembargador Délio Rocha foi publicada no último dia 27. Wanildo irá ocupar pela segunda vez a vaga do vereador afastado Nacib Haddad (PDT), que é denunciado pelo Ministério Público de formação de cartel para fraudar licitações. Acusações das quais Nacib nega.

Na decisão, o desembargador argumenta que já se passaram 120 dias de vacância do cargo, uma vez que Nacib foi afastado no dia 14 de abril. Por isso, seria legítima a posse de Sarnaglia. De acordo com o advogado, Felipe Sarnaglia, a expectativa é que a Câmara seja notificada para cumprir a decisão ainda essa semana.

O caso tem um histórico de complexidade judicial. Após o afastamento de Nacib em abril, a juíza da Vara da Fazendo Pública Municipal, Telmelita Guimarães, determinou que Wanildo fosse empossado. Isso ocorreu em maio.

No entanto, Nacib recorreu em segunda instancia, argumentando que o prazo para convocação do suplente era de 120 dias após o afastamento. Em julho o desembargador João Paulo Calmon Nogueira acatou o pedido de Nacib e afastou Wanildo. Agora, essa nova decisão deve dar segurança para o vereador suplente assumir a vaga de Nacib.

Contexto político

Politicamente, o contexto em que Sarnaglia é novamente empossado é bem diferente de maio. Naquele mês a política da Serra ainda vivenciava uma forte crise institucional entre a Câmara presida pelo vereador Rodrigo Caldeira (Rede) e o Poder Executivo.

Nacib, era um dos líderes da oposição que controlavam as principais funções internas da Casa, como Mesa Diretora e as Comissões de Justiça e Finanças.

Após Nacib ser afastado a pedido do Ministério Público, por supostas práticas de corrupção, o grupo de oposicionista perdeu a maioria de 2/3 e enfraqueceu o movimento contra o prefeito Audifax Barcelos (Rede). Até que em julho, foi costurada uma “trégua” entre oposição e prefeito que resultou na retomada de votação de projetos de autoria do Poder Executivo.

Com este novo retorno, Wanildo encontra uma Câmara menos tensionada, e com uma base governista superior a metade do plenário. Grupo do qual o vereador suplente, em tese, está situado. Mesmo afastado desde abril, Nacib Haddad segue recebendo salário de aproximadamente R$ 9 mil/mês. Ele recorreu da decisão que o afastou e na época criticou a ação do MP-ES.

Comentários