23.8 C
Serra
domingo, 17 de novembro de 2019

Viaturas da PM rodam menos na Serra

Leia também

Óleo já está em Nova Almeida e Jacaraípe e ameaça também água de serranos

Aconteceu. O petróleo que contamina há mais de dois meses a costa do Nordeste chegou às praias da Serra....

Você adoça seu cafezinho?

Considerando que você utilize um sachê tradicional de 5 gramas por xícara e por dia consuma 3 xícaras de...

Barro na água faz Cesan interromper abastecimento na Serra

Os moradores da Serra, Fundão e Viana  vão ficar sem água nesta sexta-feira (15). Isto porque tem muito barro...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Por Anderson Soares

Carros de corporação estacionados em frente ao destacamento de Laranjeiras. Foto: Fábio Barcelos
Carros de corporação estacionados em frente ao destacamento de Laranjeiras. Foto: Fábio Barcelos

O corte no orçamento estadual já começa a afetar setores essenciais, como a Segurança Pública. O 6° Batalhão da Polícia Militar (PM), responsável pelo policiamento da Serra, terá que reduzir em fevereiro 55% do consumo de combustível nas viaturas. Na prática, as rondas policiais em caminhonetes, carros e motos devem ficar mais raras.

A redução dos gastos com combustível foi determinada pelo Governo do Estado.  Em documento divulgado na última terça (11), o 6º Batalhão da PM informou que em janeiro gastou R$ 131,5 mil com combustível. Agora terá que economizar em fevereiro cerca de R$ 73,2 mil e terá que se virar com R$ 58,3 mil para abastecer as viaturas. O mesmo valor será o teto para o consumo dos meses subsequentes.

A situação deixa em alerta moradores, comerciantes e políticos da Serra. Para o deputado estadual Bruno Lamas (PSB) a medida é absurda. “Falo em nome de uma cidade de quase 700 km2, com 500 mil habitantes, com apenas 600 policiais militares e com apenas 40 viaturas para fazer o policiamento do seu território”, argumenta.

“O número de policiais e viaturas que passam por aqui já não dá conta de nos proteger. Essa redução vai prejudicar a segurança do comércio”, disse, sob a condição de anonimato, o dono de um material de construção em Laranjeiras.

A vendedora de uma loja no mesmo bairro, Naiara Lemos, também não concorda com a redução. “A viatura tem que rodar o tempo todo porque é mais ágil para os policiais. Ninguém vai ficar correndo atrás de bandido a pé ou de bicicleta”.

Modalidades

Sobre o contingenciamento de combustível, a assessoria de imprensa do 6º Batalhão informou que os ajustes do governo são para todos os órgãos e que a PM trabalha com alternativas.

“O policiamento será equacionado. Onde for necessário, o policiamento motorizado será mantido. Quando possível o motorizado será substituído por policiamento a pé, de motocicleta ou de bicicleta, de forma que todo o efetivo será mantido nas ruas”, acrescenta a assessoria.

Comentários

Mais notícias

Você adoça seu cafezinho?

Considerando que você utilize um sachê tradicional de 5 gramas por xícara e por dia consuma 3 xícaras de café, seu consumo diário de...

Barro na água faz Cesan interromper abastecimento na Serra

Os moradores da Serra, Fundão e Viana  vão ficar sem água nesta sexta-feira (15). Isto porque tem muito barro na água  e a alta...

Chuva alaga Vale e eleva risco de vazamento de rejeitos em Tubarão

Localizada na divisa entre Serra e Vitória, a planta industrial de Tubarão da Vale também não escapou dos alagamentos que atingem o ES por...

Fortes chuvas deixam 72 pessoas desalojadas no ES

Apesar de não ter causado grandes estragos na Serra, as fortes chuvas que estão caindo no Espírito Santo desde a madrugada da última quarta-feira...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
javascript:void(0)
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!