26.8 C
Serra
quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Vale diz que reduz 20% do pó preto em cinco anos

Leia também

Márcia vira prefeita por 10 dias de olho na chuva

O prefeito Audifax Barcelos (Rede) tirou dez dias de recesso, e a vice-prefeita Márcia Lamas (PSB) assumiu o cargo...

Serra registrou 334 casos de dengue em 22 dias

A dengue continua infectando moradores da Serra. Em 22 dias, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) já registrou 334...

Prefeitura promete entregar uniformes para estudantes em março

O ano letivo começa em fevereiro, mas os alunos das escolas e creches do município da Serra só devem...
Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

Porto de Tubarão da Vale: empresa foi instalada numa região onde os ventos predominantes sopram em direção às áreas mais populares da Grande Vitória. Foto: Arquivo TN
Porto de Tubarão da Vale: empresa foi instalada numa região onde os ventos predominantes sopram em direção às áreas mais populares da Grande Vitória. Foto: Arquivo TN

Por Bruno Lyra

Vai demorar pelo menos meia década para o morador da Grande Vitória ter um pouquinho menos de pó preto nos pulmões e em sua casa. Isso se a Vale conseguir cumprir a meta de reduzir o poluente em 20% nos próximos cinco anos, promessa que foi feita pelo presidente da empresa, Murilo Ferreira, ontem (23) durante o depoimento à CPI do Pó Preto na Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales).

Segundo publicação no site da Ales, Murilo disse que a empresa fará várias intervenções nos próximos anos. “Até 2020 vamos investir mais R$ 65 milhões em 40 melhorias, com redução estimada de mais 20% da poluição. Serão intervenções mais precisas, otimizando o que fizemos”, acrescentou o diretor de Pelotização da empresa, Armando Maurício Marx, que também depôs na CPI.

Armando acrescentou que desde 2007 a Vale investiu de forma voluntária por volta de R$ 700 milhões e conseguiu reduzir em 33% as emissões, apesar da percepção dos moradores da Grande Vitória apontar para um agravamento do problema.

Já os parlamentares questionaram aos representantes da Vale o impacto que as emissões causam na saúde da população capixaba e a utilização de tecnologias mais modernas; a quantidade de impostos pagos pela Vale e até uma suposta espionagem da empresa a ambientalistas.

O próximo passo da CPI são as visitas técnicas dos parlamentares. O presidente da Comissão, Rafael Favatto (PEN), divulgou o cronograma. “No dia cinco de maio vamos visitar a Arcelor; dia oito a Vale; e no dia 15 a Samarco, sempre às 9 horas”, anunciou.

Samarco

Apesar de a Samarco não estar na Grande Vitória, a empresa – que tem parte das ações controladas pela Vale – também foi incluída na CPI do Pó Preto. O depoimento do presidente da empresa, Ricardo de Aragão, aconteceu na última quarta (22), quando prometeu que vai investir R$ 130 milhões para reduzir a poluição até 2019.

 

 

 

Comentários

Mais notícias

Serra registrou 334 casos de dengue em 22 dias

A dengue continua infectando moradores da Serra. Em 22 dias, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) já registrou 334 casos da doença na cidade....

Prefeitura promete entregar uniformes para estudantes em março

O ano letivo começa em fevereiro, mas os alunos das escolas e creches do município da Serra só devem receber os uniformes escolares a...

Magia do circo é tema da Império de Fátima no Carnaval de Vitória

Falta menos de um mês para o Carnaval de Vitória e as escolas de samba já estão com os preparativos a todo vapor. Os...

Rosas de Ouro leva homenagem ao congo para o Sambão do Povo

Falta menos de um mês para o Carnaval de Vitória e as escolas de samba já estão com os preparativos a todo a vapor....

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem