23.2 C
Serra
quarta-feira, 25 de novembro de 2020

A sensibilidade que transforma lixo em arte

Leia também

Serra tem 327 mil eleitores e maioria de aptos a votar é mulher

Neste domingo (29) acontece o segundo turno da eleição municipal que irá escolher o próximo prefeito da Serra. No...

Serra registra mais seis moradores mortos e 382 novos casos de Covid-19 em 48h

O número é assustador: 589 moradores da Serra foram mortos pelo coronavírus em apenas nove meses. A cidade chegou...

Serra tem aumento de 1.045% nos casos de chikungunya e especialista fala em surto

Em meio à pandemia causada pelo coronavírus, outra doença tem tirado o sono de moradores da Serra. Trata-se da...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A sensibilidade que transforma lixo em arte
Além de pinturas, Vera produz esculturas, mandalas e mosaicos. Ela é uma das articuladoras da Associação da Vila das Artes.

Por Clarice Poltronieri
“O lixo fala”. É assim que a artista Vera Lúcia descreve sua inspiração para produzir. Com atelier montado há cerca de 12 anos no bairro São Francisco, no entorno da Casa de Pedra, Vera faz parte da Vila dos Artistas e suas obras são criadas com os madeira, cerâmica, plásticos e outros materiais descartados nas ruas.

Nascida em Recife, Pernambuco, seu contato com a arte começou na infância onde ajudava sua mãe a bordar enxovais. Quando não havia bordados para fazer, ela pintava, em busca de uma ocupação para as mãos.

Sempre em contato com a arte, há 32 anos a artista veio com a família para o ES e continuou com seus trabalhos artesanais, vendendo suas telas nas feirinhas das praças de Vitória. Apesar da constante produção, precisou arranjar outro trabalho para melhorar sua renda e tornou-se uma funcionária pública há 28 anos. “Tudo o que faço é com amor, mas conto os segundos para chegar o final de semana e me entregar à minha arte”, confessa.

No atelier são produzidas telas espatuladas, esculturas, mosaicos, mandalas e outras obras: “Reciclo tudo que vejo e quando vejo algum objeto descartado interessante, busco o que posso fazer com ele. É como se o próprio lixo me dissesse o que deve ser feito com ele”, conta.

 

Vila das Artes

Quando conheceu a Casa de Pedra e o bucolismo de São Francisco, Vera resolveu erguer seu ateliê na região e há 12 anos está lá. “A energia do Neusso é incrível. Sabia que era ali que eu deveria prosseguir com a minha história na arte”, frisa.

Ela é uma das articuladoras da Associação de Artistas e Artesãos da Vila das Artes(Avart). Para conhecer os trabalhos de Vera ou adquiri-los, basta visitar seu atelier, que fica em frente à Casa de Pedra do Neusso.

Lembrando que o espaço está aberto para visitação quando a bandeira branca estiver hasteada, código usado pelos demais donos dos ateliês da Vila das Artes. O telefone para contato com a artista é 98811-0182.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.
Artigo anteriorGustavo Lima Show
Próximo artigoAmando que nem cão e gato

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!