• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados
25.4 C
Serra
quinta-feira, 13 maio - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados

Sede de projeto social em Limoeiro é arrombada pela quarta vez este ano

Leia também

Festival apresenta 12 atrações musicais capixabas de diferentes estilos e linguagens

Doze atrações musicais capixabas com performances que entregam grito por diversidade e liberdade. E mais: dança, rock, fala, hip...

De mochilão e bicicleta, amigos vem pedalando da Argentina para conhecer belezas da Serra

Imagine conhecer o litoral brasileiro dando muitas pedaladas? Uma aventura e tanto, não é? Em busca da liberdade e...

Com investimento de mais de R$ 2 milhões, Fapes abre inscrições para bolsistas

Um investimento de R$ 2,1 milhões será destinado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo...
Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

O local sofreu três arrombamentos em março e já começou abril sofrendo ataques. Foto: Divulgação

O bairro Jardim Limoeiro tem passado por dias difíceis e violentos. Moradores da comunidade reclamam da quantidade de assaltos e arrombamentos que estão acontecendo na região. O último deles ocorreu na madrugada desta terça-feira (6) na sede do Projaec (Fundação da Associação Comunitária e Social de Esporte Cultura e Lazer Jardim Limoeiro) que somente este ano sofreu o quarto ataque de assaltantes.

Desta vez, os vândalos quebraram cadeados e roubaram uma porta de alumínio, além de diversos itens utilizados pelo projeto para dar oficinas esportivas e culturais, como instrumentos musicais. A fiação do local também foi roubada.

O Projaec atende dezenas de crianças, adolescentes e jovens com suas atividades de música, tênis de mesa e futsal. A equipe do Jardim Limoeiro é reconhecida em todo Estado pelas grandes conquistas no futebol de salão.

“Fizeram uma verdadeira arruaça, jogaram troféus no chão, alguns foram quebrados. Levaram alguns instrumentos musicais. O que daria para vender eles levaram, o que não servia eles quebraram. Não temos energia elétrica porque roubaram toda a fiação, pracinha, quadra, agora a sede do projeto, tudo sem energia elétrica, estamos no escuro, o que piora ainda mais a situação”, conta o presidente da Associação de Moradores Jober Antonio Freitas Costa.

Vice-presidente da comunidade, Marcelo Barbosa reclama da falta de policiamento. “Esta já é a quarta vez este ano que sofremos este tipo de ataque. Em março foram três e começamos abril com essa situação terrível. Precisamos de segurança pública e a gente acha que eles devem até voltar, porque todas as salas foram abertas e eles viram o que tinha dentro delas. A probabilidade deles voltarem é muito grande. Precisamos de ajuda do poder público para conter isso”.

O TEMPO NOVO procurou a Polícia Militar que disse informou que o patrulhamento preventivo é realizado dia e noite no bairro Jardim Limoeiro, na Serra, por meio de viaturas e motopatrulhas. Disse também que além disso, a região conta com constantes operações de policiamento ostensivo com foco no combate a criminalidade, como cercos táticos, blitzes, pontos bases e abordagens.

No entanto, a PM lembrou que, embora a atividade preventiva seja praticada, a impossibilidade de onipresença abre janelas de oportunidade que são aproveitadas por criminosos motivados à prática criminal. “Por este motivo, a PM conta com a participação popular para que uma viatura seja imediatamente acionada em casos de crimes em andamento ou em casos de suspeita, via Ciodes (190)”, disse a PM por meio de nota.

Já a Prefeitura da Serra disse que a Guarda Civil Municipal atua na região, contribuindo com os trabalhos de policiamento ostensivo realizados pela Polícia Militar. O município atua também na forma de operações integradas, com participação da GCM e do Departamento de Operações de Trânsito, junto com equipes da fiscalização municipal.

Moradores pedem a retirada do Centro Pop do bairro

Moradores do bairro reclamam da presença de usuários de drogas nas ruas da comunidade e denunciam que a situação pode ser gerada por conta da presença de moradores de rua que são atendidos pelo Centro Pop, da Prefeitura da Serra.

“A Polícia não faz nada porque sabem que se declaram usuários e não ficam presos. É uma situação complicada. Eles têm o Centro Pop, para almoçar, fazer suas refeições e quando chega a noite é isso que eles fazem, roubam para alimentar o vício”, disse um morador que não quis se identificar.

Outra moradora que também pediu anonimato disse que depois do Centro Pop, Jardim Limoeiro não tem mais sossego. “Depois que trouxeram o Centro Pop para Limoeiro não temos mais sossego. A única pessoa que lucra é o dono do imóvel alugado”.

Por conta das situações que estão acontecendo, os moradores estão fazendo um abaixo-assinado on-line pedindo a retirada do Centro Pop do bairro.

“Eles estão roubando pois tem pessoas que compram e por esse motivo eles ganham força. Tem que ser avaliado realmente pois não dá para lutar por um bairro melhor com a sensação de ter dado 20 passos para trás. Poxa, é igreja, é o projeto. A casa de um vizinho esses dias chegando em casa encontrei um bandido escondido nas plantas da vizinha. Ele tinha acabado de roubar uma empresa e o cara tava com pedaço de pau atrás dele. Sensação horrível”, desabafa um morador que não quis se identificar.

Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!