23.7 C
Serra
sábado, 25 de janeiro de 2020

Rodoviários decidem daqui a pouco se ônibus vão parar de circular

Leia também

Exame de vista gratuito em Laranjeiras em fevereiro

No próximo dia 1 fevereiro (sábado), será realizado em Parque Residencial Laranjeiras, o projeto ‘Olhos do Bem’, que levará...

Chuvas | Serra antecipa limpeza de bueiros e valas

Áreas de instabilidade se intensificaram sobre o mar e avançaram para o Espírito Santo espalhando nuvens carregadas sobre algumas...

Cinquenta voluntários da Serra vão ajudar na limpeza de Iconha

Muitas doações de produtos de limpeza, alimentos e roupas estão chegando ao município de Iconha, devastado por chuvas que...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Rodoviários estão negociando com as empresas. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Os rodoviários e as empresas de ônibus estão nesse momento (8 horas) realizando a última tentativa de negociação para que a greve da categoria não aconteça. Após essa reunião, o Sindirodoviários vai realizar uma assembleia com os trabalhadores em Vitória para decidir se a paralisação irá realmente ser iniciada.

Ainda não há informações, se caso a decisão for entrar em greve, como será a paralisação. O TEMPO NOVO conversou brevemente com o presidente do Sindirodoviários, José Carlos Salles, e o questionou se os ônibus parariam de rodar ainda nesta quarta-feira (4) ou somente na quinta-feira (5). Mas o sindicalista não respondeu a pergunta. Disse apenas que “tem reunião e depois assembleia”.

Conforme noticiado pelo TEMPO NOVO, os encontros do Sindirodoviários e do GVBus estão sendo realizados para que as duas partes se entendam e evitem uma greve no sistema Transcol. Apesar disso, as reuniões realizadas no Ministério Público do Trabalho, em Vitória, na última segunda-feira (2) e na terça-feira (3) não tiveram nenhum efeito positivo e não foi feito acordo nas duas agendas.

As reuniões estão sendo realizadas após intervenção judicial solicitada pela GVBus. No último dia 27, os rodoviários tinham anunciado que iriam paralisar a circulação dos coletivos no dia 2 de dezembro. Com isso, o GVBus acionou a Justiça para que a greve fosse impedida. Durante uma audiência de conciliação realizada no último dia 29, a categoria e as empresas afirmaram o compromisso de debater as propostas por três dias.

Entre as propostas definidas na audiência de conciliação está o reajuste de 3,04% de perda inflacionária mais ganho real, o aumento de R$ 1,00 nos tíquetes de alimentação e restaurante, a mudança da data-base para o mês de agosto e a formalização do uso e da existência de carros extras nos horários de pico.

As 10h desta quarta-feira será realizada a assembleia dos rodoviários que decidirá se a categoria aceita ou não a proposta negociada. Isso também definirá se a greve irá realmente ou não acontecer.

Vídeo de sindicalistas anunciando greve é antigo

Um vídeo que tem circulado nas redes sociais mostra sindicalistas anunciando “uma paralisação amanhã”. O TEMPO NOVO apurou a informação e verificou que o conteúdo é antigo. Trata-se de um vídeo filmado e postado no ano passado (2 de dezembro de 2018) que está sendo compartilhado novamente nas redes.

Principal reivindicação de rodoviários é o reajuste salarial

Os rodoviários apresentaram várias propostas para os empresários, mas a principal é o reajuste salarial. A categoria pediu 9% de reajuste, mas as empresas ofereceram 2,54%. Esse foi o principal motivo da decisão de entrar em estado de greve.

Os motoristas e cobradores rejeitaram a contraproposta patronal, que oferece 2,54% de reajuste salarial. A pauta de reivindicações entregue as empresas solicitava 9% de reajuste acima da inflação, além de mudança da data base para 1º de maio,  plano de saúde integral, mudanças em escalas de trabalho, entre outros pontos.

A diretoria do sindicato informou que as empresas se negaram a negociar e apresentaram a contraproposta. Após isso, o sindicato das empresas (GVBus) entrou na Justiça e conseguiu a realização da audiência de conciliação.

GVBus diz que pedido de reajuste “é fora da realidade”

Em nota enviada para o TEMPO NOVO, o GVBus disse que “o pedido oficial do Sindirodoviários está desconexo da realidade, solicitando reajuste salarial acima de 11% (índice INPC mais 9%), sendo que a inflação acumulada no período é de 2,54%, ajuste proposto pelas empresas. Ou seja, os trabalhadores pedem um reajuste 292% acima da inflação, fora outras reivindicações”.

Disse ainda que “isso demonstra que o sindicato dos trabalhadores nunca teve a intenção de fazer acordo, já que a inflação no país está com viés de queda e de estabilidade. Lembramos que outras categorias no Espírito Santo e em outros estados do Brasil já fecharam acordos de reajuste salarial abaixo de 3%”.

Comentários

Mais notícias

Chuvas | Serra antecipa limpeza de bueiros e valas

Áreas de instabilidade se intensificaram sobre o mar e avançaram para o Espírito Santo espalhando nuvens carregadas sobre algumas regiões do estado próximas do...

Cinquenta voluntários da Serra vão ajudar na limpeza de Iconha

Muitas doações de produtos de limpeza, alimentos e roupas estão chegando ao município de Iconha, devastado por chuvas que atingiram o sul do Espírito...

Morador pede bueiros em ruas de Portal de Jacaraípe – Confira no ‘Pronto, Flagrei’

Morador do bairro Portal de Jacaraípe, Cleiton Luiz, reclama da ausência de bueiros em diversas ruas da comunidade. Segundo ele, basta chover um pouco mais...

Pague 26 e leve 23 | Confira a coluna Nó da Gravata desta sexta (24)

Pague 26 e leve 23 Após os vereadores de oposição colocarem o ‘pé na porta’ contra a posse do suplente de vereador Fábio Latino (PSB),...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem