22.3 C
Serra
segunda-feira, 03 de agosto de 2020

Portador de doença rara, paratleta pede ajuda para comprar triciclo

Leia também

Opinião: Mulheres na política em busca de representatividade

ARTIGO DE OPINIÃO DE AUTORIA DE ALEXSANDRA VERTUANI A luta pelos direitos das mulheres vem progredindo não só no Brasil,...

Bruno Lamas afasta dúvidas e garante que vai disputar a Prefeitura da Serra

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB) garantiu que a sua decisão de disputar a Prefeitura da Serra no próximo...

Vale promove testagem em massa no Pará, porque não fazer na Grande Vitória também?

Uma ação da Vale realizada na cidade de Parauapebas, no sudeste do Pará, está entre as iniciativas sociais mais...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Oliver é nadador e sonha em disputar os jogos paraolímpicos. Foto: Divulgação

Uma força para poder ter mais autonomia no dia a dia. É o que pede o paratleta Oliver Souza de Oliveira, de 24 anos. Portador de artogripose congênita mútipla, doença rara que prejudica nervos e músculos, impossibilitando-os de se desenvolverem em algumas partes do corpo, Oliver está fazendo uma vaquinha virtual para conseguir comprar um triciclo elétrico, equipamento também conhecido como kit livre off road.

Segundo Oliver, o triciclo custa cerca de R$ 25 mil. “Moro sozinho e consigo ter autonomia em muitas tarefas. Mas o kit livre me dará mais condição de poder circular pelas ruas”, destaca o jovem.

Oliver tem uma história de vida inspiradora, de muita superação. Ele é nadador e na última competição que disputou em fevereiro, a Regional Sul Loterias Caixa de natação paraolímpica, conquistou quatro medalhas e alcançou por três vezes o índice para a disputa do Campeonato Brasileiro.

O paratleta disputa as provas na categoria S1, que engloba competidores com maior limitação física. Nascido em Ibatiba, região do Caparaó Capixaba, atualmente Oliver mora em Vila Velha, mas ele já residiu na Serra, quando passou temporadas em Laranjeiras e em Jacaraípe.

Na ocasião em que morava no município serrano, teve sua história contada no Tempo Novo, quando realizou o sonho de salta de paraquedas. “Na época eu estava começando a carreira de nadador e tinha feito uma parceria com o youtuber e treinador Renan Lobo, que tem um canal chamado Nossa Guerra. Falei para ele que tinha o sonho de saltar de paraquedas. Então Renan conheceu Tiago Cardoso, da escola de paraquedismo Skydive, que me fez um desafio: se eu cumprisse uma rotina de treinos e conseguisse nadar um quilômetro, a Skydive me daria o salto. Aceitei, consegui realizar o nado e ganhei o salto”, conta.

Montagem com fotos da preparação para o desafio do travessia e o dia do salto de paraquedas. Fotos: Divulgação.

Durante a preparação para o desafio, Oliver passou a nadar travessias. Fez o percurso entre as Ilhas do Frade e do Boi em Vitória, entre a Praia de Camburi e a Ilha do Socó, nadou no Solemar em Jacaraípe, realizou a travessia João Moreno em Vila Velha. Por fim, no dia do desafio,  atravessou 2,5 km – um e meio a mais do que havia sido proposto – numa lagoa em Colatina.

Saiba mais dessa história aqui.

Agora Oliver se dedica à natação em piscinas. Neste momento o paratleta aguarda o reagendamento das datas para disputa do Campeonato Brasileiro. “Minha meta é chegar às Paraolimpíadas de Paris em 2024. Para Tóquio (que será disputada em 2021 por conta da pandemia) está muito em cima, precisaria de mais tempo para melhorar meus índices. Mesmo assim há uma possibilidade remota e vou seguir trabalhando”, destaca.

Atualmente o paratleta conta com o apoio do Centro de Treinamento Viva Velhor, de Vila Velha.

Quem quiser ajudar Oliver é só entrar no link da bio do Instagram do atleta. O endereço é _oliverbeat.

Triciclo elétrico sonhado por Oliver que poderá dar mais qualidade de vida e autonomia no dia a dia do paratleta. Foto: Divulgação.

Abaixo, vai o texto divulgado por Oliver onde pede apoio para conseguir o equipamento.

Faaaaaaala familia. Tudo certo? Então me chamo Oliver Beat, sou cadeirante portador de uma deficiência rara chamada artogripose congênita múltipla, essa doença afeta meus nervos e musculos impossibilitando de se desenvolver em algumas partes do corpo, mais sou privilegiado entre 10.000 pessoas 1 nasce com ela, agora vou explicar o privilégio. Com todas limitações que a vida tenta me limitar, eu nunca liguei pra isso, sou pai, YouTuber, atleta paralímpico prático algumas outras modalidades radicais ainda moro sozinho.

Tive a ideia de fazer essa vaquinha online pra comprar o kit livre, vale uns $25.000 reais, esse kit livre off road e uma adaptação que faz minha cadeira virar um triciclo elétrico e vai me dar uma liberdade inimaginável, por mais que eu faço quase tudo, eu preciso de uma ajuda pra ir a alguns lugares, o famoso bonde, com esse kit eu vou realizar um grande sonho ser livre de verdade.Sabe, a liberdade é um sonho pra muitos, mais ela tem que ser vivida, e com esse kit eu vou viver isso. Além de ter a liberdade vou poder dar continuidade no meu trabalho, vou poder gravar conteúdo em todo lugar e continuar inspirando pessoas a serem melhor!!!

Quem puder tá me ajudando, com divulgação impulsionando pro máximo de pessoas que puder, ou dando uma quantia simbólica, vai tá ajudando muito, então muito obrigado a todos pela ajuda, e Deus abençoe.

E fique um convite você que ta me conhecendo agora continuar me acompanhando nas redes sociais, vai vim muita coisa boa depois que chegar o kit livre. instagram; @_oliverbeat

 

Comentários

Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Mais notícias

Bruno Lamas afasta dúvidas e garante que vai disputar a Prefeitura da Serra

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB) garantiu que a sua decisão de disputar a Prefeitura da Serra no próximo dia 15 de novembro não...

Vale promove testagem em massa no Pará, porque não fazer na Grande Vitória também?

Uma ação da Vale realizada na cidade de Parauapebas, no sudeste do Pará, está entre as iniciativas sociais mais bem sucedidas na luta contra...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!