28.4 C
Serra
quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Polícia prende suspeitos de assassinar filho de sargento da PM em Jacaraípe

Leia também

Jornal Tempo Novo vai divulgar pesquisa ENQUET para prefeito da Serra

Na manhã dessa quinta-feira (29), o jornal TEMPO NOVO, em parceira com a Enquet, publicará pesquisa de intenção de...

Acidente entre carros e carreta mata um e deixa feridos no ‘Trevo da Morte’ na Serra

A tarde desta quarta-feira (28) foi marcada por um acidente fatal na BR-101, próximo a entrada de Cidade de...

Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo é prorrogada até final de novembro

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, para crianças de um ano a menor de cinco anos de...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Daniel foi assassinado no dia 3 de agosto no Bairro das Laranjeiras. Foto: Divulgação

Os três homens suspeitos de serem os autores do crime que vitimou Daniel Moreira Patrício, um rapaz de 23 anos, no Bairros das Laranjeiras, em Jacaraípe, foram presos pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Serra.

O crime aconteceu no dia 03 de agosto desde ano quando o jovem foi atingido com um tiro na nuca, ao sair do trabalho, e morreu dias depois, no hospital. Daniel era filho de um sargento da Polícia Militar.

O rapaz chegou a ser levado para o Hospital Jayme Santos Neves, em Morada de Laranjeiras, na Serra, mas após lutar pela sua vida, não resistiu e acabou morrendo. Na ocasião, os órgãos do jovem foram doados e ajudaram a salvar a vida de seis pessoas, que receberam os transplantes.

Segundo o delegado Rodrigo Sandi Mori, Daniel era uma pessoa que só trabalhava e ficava dentro de casa jogando videogame. “Era muito família e quase não saía. O único lugar pra onde ele saía era para trabalhar. A família nos procurou, muito chocada com a situação, tendo em vista que era uma pessoa de bem, não se envolvia em nada de ilícito”, afirmou o titular da DHPP da Serra.

Dois meses depois da morte do filho, a mãe de Daniel, Simone Moreira, disse que a a família está destruída. “Nossa família esta incompleta. Meu menino Daniel era um filho incrível. Trabalhador, caseiro, gostava de ficar no quarto dele jogando, tocando violão. Não conseguimos entender, tanta crudeldade”, afirma Simone.

“Meu filho, aliás meus filhos foram criados dentro de casa, no quintal e entre família. Muito Bem educados. Estamos fazendo tratamento psicológico e psiquiátrico. Eu, o pai e o irmão de Daniel. Éramos cinco, arrancaram um pedaço de nós”, finaliza Simone.

A prisão foi anunciada pelo titular da DHPP da Serra, Rodrigo Sandi Mori. Foto: Divulgação

As prisões ocorreram nos dias 21 e 22 de setembro em Vitória e na Serra, em cumprimento do mandado de prisão temporária. No dia 21 de setembro, os policiais realizaram diligências em Goiabeiras, Vitória, onde prenderam o mandante do crime, um homem de 27 anos. No dia 22, foram presos o executor, de 23 anos, e o intermediário, de 19 anos, no bairro Jacaraípe, na Serra.

As investigações foram conduzidas pelo adjunto da DHPP da Serra, delegado Daniel Fortes. O suspeito de ordenar o homicídio é ex-marido de uma mulher que a vítima tinha acabado de conhecer e com quem estava trocando mensagens.

“A vítima havia conhecido uma moça há cerca de duas semanas antes do crime, e eles vinham conversando via rede social. Essa moça estava separada recentemente e o ex-companheiro não aceitava o fim do relacionamento”, explicou o delegado Daniel Fortes.

O suspeito demonstrou ser de alta periculosidade. “No dia em que realizamos a prisão dele, já tinha descoberto que a ex estava conversando com outra pessoa. Já tinha levantado o local de trabalho e se nós não realizássemos a prisão desse indivíduo naquela data, outra pessoa iria morrer. Ele é dissimulado, obsessivo, possessivo, extremamente machista, tinha uma relação de propriedade com a ex-mulher, a via como um objeto, como uma propriedade, e não como uma mulher”, relatou Sandi Mori.

As investigações também apontaram que o mandante estava monitorando a vítima e ofereceu pagamento a um funcionário que, por sua vez, contratou um cunhado dele para atuar como executor do homicídio. No dia do crime, intermediário e executor se encontraram em um campo de futebol em Jacaraípe, onde aguardaram até o horário em que a vítima sairia do trabalho, em uma lanchonete, e se dirigiram até a rua onde ele morava.

“Segundos depois que ele saiu da hamburgueria em direção à residência, foram ouvidos disparos de arma de fogo. O executor relatou que, no momento em que a vítima estava colocando a chave para entrar na residência, ele se levantou sem falar nada e efetuou os disparos contra a vítima”, informou Fortes.

Os três suspeitos foram indiciados por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e impossibilidade de defesa da vítima, e encaminhados ao sistema prisional.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Acidente entre carros e carreta mata um e deixa feridos no ‘Trevo da Morte’ na Serra

A tarde desta quarta-feira (28) foi marcada por um acidente fatal na BR-101, próximo a entrada de Cidade de Pomar, na Serra. Dois carros...

Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo é prorrogada até final de novembro

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, para crianças de um ano a menor de cinco anos de idade – mesmo as já...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!