Serra PodcastTEMPO NOVO
Uma nova forma de se comunicar

Podcast: cerco eletrônico; Guarda da Serra; crime organizado e muito mais

-

Atenção: caso queria ver o conteúdo dividido por tema, abaixo, segue os recortes do podcast.

Com investimentos de R$ 15 milhões em 2022, a Secretaria de Defesa Social, sob a égide do delegado de polícia, Joel Lyrio, apresentou algumas novidades esse ano que já estão em curso; esse recurso envolve a compra de viaturas de grande porte para os servidores que respondem a pasta na linha de frente do cotidiano na cidade, o cerco eletrônico que acrescentará mais 160 câmeras na Serra, entre outras ações.

Tudo foi detalhado na última quinta-feira (06), quando Joel Lyrio esteve na sede do Jornal Tempo Novo e participou do Serra Podcast. Ele apresentou uma série de novidades e detalhou um pouco a respeito do panorama do crime organizado de Vitória que tem tentando expandir para outras cidades, entre elas a Serra.

Cerco eletrônico da Serra terá câmeras móveis, identificação de placas e reconhecendo facial

Joel detalha que será investido no cerco eletrônico, R$1.4 milhão esse ano e em torno de R$ 6 milhões para 2023 e 2024; entretanto todas as câmeras já começam a operar ainda esse ano, até o final desse mês de julho. Ao todo serão 160 câmeras, distribuídas da seguinte forma: 90 câmeras tipo ptz (convencionais, por assim dizer); 60 câmeras tipo OCR (identificação de placas de veículos para combater os furtos e roubos) e 10 câmeras de reconhecimento facial de alta tecnologia.

Além disso, esse aparato será somado aos 36 pontos do cerco eletrônico do Governo do Estado que está sendo instalado na Serra e integrado à Central de vídeo-monitoramento da Prefeitura; Joel Lyrio ainda explicou que as câmeras da Prefeitura serão móveis, por isso, terá a opção de movimentá-las de acordo com as necessidades do contexto da segurança pública na cidade.

Ouça na íntegra no Spotify:

Serra vai ter redução de 50% em roubos de veículos e preço no seguro vai cair, estima secretário

Joel disse que “com certeza” haverá redução nos valores dos seguros veiculares na Serra, que atualmente, em média, é o mais caro do Espírito Santo. Ele sustenta essa afirmação que de acordo com os estudos e estimativas que a Secretaria de Defesa Social realizou, a expectativa é uma diminuição de 50% nos índices de furtos e roubos de veículos na cidade, já que a tecnologia do cerco eletrônico irá atuar especialmente no combate a esse tipo de ação. Vale lembrar, que a Serra tem a maior frota de veículos registrada entre as cidades capixabas, são 220 mil.

Motoristas serão multados através das câmeras do cerco eletrônico na Serra

Joel explicou que além de combater o crime, o cerco eletrônico visa também coibir maus motoristas. “Com a nova resolução nacional, os agentes de trânsito poderão multar através das câmeras do cerco, ou seja, se for identificado um motorista ao celular, esse indivíduo será multado, assim como se ultrapassar o sinal vermelho ou cometer qualquer outra irregularidade no local de cobertura das câmeras”.

O secretário deu ênfase que os acidentes de trânsito estão em sua maioria ligados à imprudência, e a intenção é inibir esses motoristas como uma medida punitiva; e não aumentar a arrecadação como muita gente reclama. “Você sai com a sua família para comer uma pizza e no meio do caminho um motorista embriagado pode causar um mal irreparável a sua família, então é importante a gente ter isso”, explicou.

Guarda da Serra vai combater bandidagem com nova Frontier 4×4

O secretário também anunciou a compra de 23 picapes a diesel 4×4, modelo Nissan Frontier; o contrato já está assinado e a entrega dos veículos deve ocorrer nas próximas semanas. Das 23, 15 delas irão para a Guarda Municipal; 5 para o Departamento Operacional de Trânsito (DOT); 2 para Defesa Civil e 1 para o Salva-Mar.

“Nunca foi feito um investimento tão grande em compra de viaturas como essa, serão R$ 6,7 milhões investidos em melhorar as condições de combate ao crime”, disse Joel. Ele ainda explicou que além das picapes, o DOT vai receber nos próximos meses 6 novos veículos modelo Renault Duster, no valor de aproximadamente R$1,6 milhão; e há a expectativa para a compra de 5 ou 6 outras viaturas para a Guarda via captação de recursos do Governo Federal, com valor estimado em R$ 1,5 milhão.

Guardas da Serra fizeram 7.435 ocorrências em seis meses

Joel ainda detalhou os resultados das ações dos agentes na cidade, que tem efetivo de 156 agentes dos quais 17 fazem parte da Romu, que é um agrupamento especial voltado à atuação em situações de alto risco, que foram selecionados por meio de um processo de testes físicos e psicológicos para enfretamento em situações de maior stress e também fazem uso de armamentos de grosso calibre como fuzis e metralhadoras.

Em seis meses foram feitas 7.435 ocorrências, “das mais variadas, como atendimento a escolas, creches e comércios”, disse Joel. Ele também citou as 607 operações, que vão desde a blitz, ações com a PM e PC, atuação em estabelecimentos irregulares e áreas de conflito, abordagem a ônibus, e operações com a PRF destinada especificamente a motocicletas: “os índices de crimes ocorridos com motocicletas são muito altos”, justificou e completou: “cumprimos também mandatos de prisão e conseguimos recuperar 104 veículos”.

Joel Lyrio falou também sobre a apreensão de drogas, que gerou 141 ocorrências, sendo a maconha a maior delas. O secretário ainda lembrou que a Guarda funciona das 7h às 22h; e deu ênfase que o agrupamento é um suporte para as forças de segurança estaduais, que tem a maior reponsabilidade em torno da segurança pública.

Agentes de trânsito da Serra terão armas de choque para se protegerem de ‘esquentadinhos’

Joel anunciou investimentos em armas não-letais para a atividade dos 57 agentes de trânsito da Serra. “Semana passada, nós já concluídos o processo de aquisição de equipamentos não-letais para agentes de trânsito”.

O secretário contou que os agentes não podem portar armas de fogo, porém, eventualmente, precisam estar munidos de algum meio para se protegerem ou atuarem no controle de alguma situação relacionada ao trânsito. Por isso, os chamados ‘taser’, que são armas de choque que conseguem incapacitar um indivíduo sem causar danos permanentes, passarão a ser utilizados pelos agentes de trânsito.

“Serão 46 armamentos para os agentes, além de outros equipamentos, hoje já usam colete, o radio comunicador, então isso é para trazer maior proteção aos nossos servidores”, explicou Joel.

Crime organizado vindo de Vitória tenta entrar na Serra e gera guerra pelo tráfico

“Fazemos parte do setor de inteligência da Polícia Federal e estamos atuando muito forte nessa parte de inteligência, um exemplo foi à prisão (no dia 28 de junho, na Serra), depois de tantos anos, do ex-policial militar Narcísico [Cezar Narciso de Souza], que assassinou a jornalista Maria Nilce”, disse Joel, se referindo ao caso de 1989, que foi um dos crimes de maior repercussão na história do ES, quando o ex-PM matou a jornalista com três tiros quando chegava com a filha em uma academia de Vitória. A morte se deu devido a cobertura jornalística feita pela profissional que denunciava o tráfico de drogas e os envolvidos com esse crime.

Porém, Joel confirmou o avanço do Primeiro Comando de Vitória (PCV) que é uma ramificação do Primeiro Comando da Capital (PCC), e essa facção é hoje a maior do ES e está instalada no Bairro da Penha, em Vitória, sob o comando do criminoso identificado como Marujo, que está foragido.

“O que a gente verifica é que o PCV quer ter tentáculos em todos os municípios da Grande Vitória; então eles aproveitam algumas gangues e conseguem colocar pessoas ligadas ao PCV em alguns bairros, e ai gera conflito… que gera a guerra pelo domínio do tráfico. Na Serra já identificamos uma ação especifica do PCV, graças a Deus, teve uma ação importante da Polícia Civil e Militar, algumas pessoas foram presas. Precisamos ficar atentos o tempo todo, por que isso não está descartado (avanço do PCV para a Serra)”, explicou Joel.

E completou: “estamos aumentando a capacidade de resposta da nossa Guarda, estamos com um trabalho de integração muito grande com PM e PC e houve uma retração grande no número de homicídios, por exemplo”, finalizou.

Polícia e Guarda estão limpando Planalto Serrano e sufocando tráfico, diz secretário

O secretário também afirmou que o bairro Planalto Serrano é o que mais demanda ações de combate ao crime na Serra. Joel salienta que o Município ainda desconhece o motivo que fez a região liderar nestas estáticas. No entanto, afirmou ainda que a comunidade está voltando à tranquilidade devido às ações das forças de segurança pública.

“A gente não sabe ainda quais foram os motivos que levaram a ter tanta incidência criminal em Planalto Serrano, mas, hoje, temos ações e estamos retornando a tranquilidade no bairro. O que a imprensa está noticiando hoje ‘tem um problema em Planalto Serrano’ é fruto do trabalho da polícia lá dentro. Estamos limpando o bairro e a ideia é continuar com essas ações. Estamos sufocando o tráfico de entorpecentes lá dentro e vamos continuar com este trabalho para dar tranquilidade às pessoas de bem”, disse.

Joel também salientou que na primeira ação que a Guarda da Serra realizou na comunidade foi dado um prejuízo de R$ 500 mil ao tráfico da região.

“Na primeira ação que fizemos lá, a nossa guarda já apreendeu dois quilos e meio de cocaína, em torno de R$ 500 mil de prejuízo ao tráfico. Nós tivemos ações da PM que apreenderam muitas armas. Estamos descapitalizando o tráfico, fazendo apreensão de armas e trazendo a tranquilidade”, finalizou.

OUTROS EPISÓDIOS

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!