27 C
Serra
quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Plantio em parque vai compensar desmate gerado por nova Rotatória do Ó

Leia também

Emprego: empresas abrem 156 vagas com preferência para moradores da Serra nesta quinta

É morador da Serra e está procurando uma oportunidade de trabalho? Então fique atento para as chances que foram...

Bairro da região rural da Serra é o único do município com um caso de Covid-19

A Serra tem 19.386 casos confirmados da Covid-19 até a tarde desta quarta (28) e 538 óbitos em decorrência...

Jornal Tempo Novo vai divulgar pesquisa ENQUET para prefeito da Serra

Na manhã dessa quinta-feira (29), o jornal TEMPO NOVO, em parceira com a Enquet, publicará pesquisa de intenção de...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal.

O local afetado estava coberto por leucenas, planta exótica que cresce sobre áreas degradadas. Porém perto dali há remanescentes de mata Atlântica. Foto: Divulgação/Lílian Souto

A vegetação do terreno entre o Dório Silva e a entrada de Morada de Laranjeiras foi derrubada na última semana. Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Serra (Semma), o desmate foi para iniciar a obra da nova Rotatória do Ó, que a Prefeitura está fazendo para melhorar o trânsito na região.

A Semma garantiu que o desmate será compensado com plantios. Em nota, a Secretaria informou que o Plano de Controle Ambiental (PCA) do empreendimento, contido no Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV), prevê que na fase final do projeto (etapa prevista para 2022) haverá plantio de diversas espécies arbóreas no parque que será implantado com a nova rotatória. Estabelece também a recomposição da vegetação degradada.

No PCA da nova rotatória, acrescenta a Semma, está previsto que ambientes naturais sofrerão impactos relacionados à supressão de alguns indivíduos arbóreos, que compõem o paisagismo atual.

A nota da Semma traz ainda a informação de que a obra possui Licença Municipal de Instalação (LMI). O documento leva em conta toda a supressão vegetal planejada, além de medidas mitigatórias e compensatórias que serão implementadas à medida em que a obra for evoluindo.

Córrego Laranjeiras

Próximo ao local de onde foi retirada a vegetação, ficam remanescentes de mata Atlântica e um fundo de vale de onde escorrem águas que formam o córrego Laranjeiras. Este, já com o nome de rio Guaxindiba, chega ao mar na divisa entre as praias de Manguinhos e Bicanga.

Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Bairro da região rural da Serra é o único do município com um caso de Covid-19

A Serra tem 19.386 casos confirmados da Covid-19 até a tarde desta quarta (28) e 538 óbitos em decorrência de complicações da enfermidade. E...

Jornal Tempo Novo vai divulgar pesquisa ENQUET para prefeito da Serra

Na manhã dessa quinta-feira (29), o jornal TEMPO NOVO, em parceira com a Enquet, publicará pesquisa de intenção de voto para a prefeitura da...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!