22.7 C
Serra
terça-feira, 11 de agosto de 2020

Petrobras só vai manter 50 dos 700 empregos no TIMS

Leia também

Mais de 88% dos moradores da Serra infectados pela Covid-19 já estão curados

Com a diminuição nos números de mortes e casos confirmados de coronavírus, a Serra também tem registrado um aumento...

Retorno das aulas presenciais preocupa autoridades do Estado

Autoridades políticas criticam o anúncio do governo do Estado de que deve retornar as aulas, após o período de...

Opinião: professora diz que retorno às aulas é irresponsabilidade e vai expor profissionais e alunos ao coronavírus

* Fabíola dos Santos Cerqueira | Professora de Sociologia da rede estadual * Hilton Dominczak | Sociólogo Nos últimos cinco meses, desenvolvemos Pesquisas...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O ENTÃO GOVERNADOR Hartung e o então presidente Lula em 2010 na época em que havia otimismo em relação ao petróleo no Espírto Santo. Fotos: Agência Brasil - Arte Joatan Alves
O então governador Hartung e o então presidente Lula em 2010 na época em que havia otimismo em relação ao petróleo no Espírito Santo. Fotos: Agência Brasil – Arte Joatan Alves

A Petrobrás mudou de ideia e vai manter uma pequena parte da unidade de equipamento para extração de petróleo no mar que mantém no Terminal Industrial e Multimodal da Serra (TIMS). A informação é do secretário de Desenvolvimento Econômico da Serra, Erly Vieira.

Segundo ele 70% da estrutura já foi transferida para Macaé, norte do Rio de Janeiro e dentro de 30 dias será concluída a transferência, até sobrar cerca de 10% das operações na Serra. Dos 230 mil m2 locados pela estatal no Tims, permanecerão apenas 20 mil m2. “A maior perda será na geração de empregos. De 700 funcionários, devem restar apenas 50. Fora as perdas de contratos das prestadoras de serviço, como transporte e vigilância”, enumera Erly.

Segundo o secretário, a estrutura restante servirá para armazenar materiais comprados no ES, que posteriormente serão encaminhados à Macaé. A Petrobras informou, por meio de nota, que a decisão da mudança das atividades ocorreu em alinhamento com o Plano de Negócios da companhia.  O fato entra na conta negativa que a empresa vem fazendo no estado, já que em 2015 havia cancelado investimentos de duas plataformas que seriam implantadas no Estado e visto suas terceirizadas demitirem cerca de 60 mil profissionais.

Comentários

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Retorno das aulas presenciais preocupa autoridades do Estado

Autoridades políticas criticam o anúncio do governo do Estado de que deve retornar as aulas, após o período de suspensão provocado pela pandemia com...

Opinião: professora diz que retorno às aulas é irresponsabilidade e vai expor profissionais e alunos ao coronavírus

* Fabíola dos Santos Cerqueira | Professora de Sociologia da rede estadual * Hilton Dominczak | Sociólogo Nos últimos cinco meses, desenvolvemos Pesquisas com alunos do Ensino Médio...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!